Vanessa Sap: A obesidade não precisa ser pesada

Brasil, outubro de 2021: ‘’A autora transita no cerne dos conflitos humanos e seus desdobramentos recheados com um humor sagaz e delicioso!! Além de escrever e descrever com primazia artística, a trilha sonora proporciona uma experiência inédita com boas risadas e reflexões! Adorei!’’, comenta Aline.
Já Ernesto diz, ‘’o livro zoa geral. Rico e pobre, magro e gordo, machista e feminista, inteligentes e burros. A mina é ardida!’’.

Esses são alguns dos comentários do livro ‘’Temporada 1’’, grande aposta de ser um dos best-sellers deste ano e com negociações para sair nos streamings.



No mês de outubro, no dia 11, foi celebrado o Dia Mundial da Obesidade e Dia Nacional de Prevenção da Obesidade, mas a data, além de trazer concienscia sobre a saúde, traz grande oportunidade de debate sobre a sociedade gordofóbica que vivemos.

Nesse nicho, Vanessa Sap, autora do livro ‘’Temporada 1’’ pega pesado no tabu. Numa obra que esmiúça o tema numa perspectiva inédita, intercalam-se rizos frutos do humor mordaz à reflexão sobre o impacto da silhueta no dia-a-dia.



A ficção é retratada no Centro de Emagrecimento Ingatori durante a semifinal da Copa de 2014. Enquanto os frequentadores testemunham o fiasco histórico do 7 x 1, flashbacks narram suas trajetórias individuais: embora tenham naturezas distintas, todos têm alguma identificação causados pelos quilos a mais e suas dificuldades.

A escritora afirma que o livro deriva de um ativismo por uma sociedade mais tolerante e sem a pressão sobre o peso alheio. “Quem quiser que fique magro. Muito magro”, comenta Vanessa.



A fala da escritora vem em um momento critico no Brasil, onde segundo dados de pesquisa realizada pela Skol Diálogos em parceria com o Ibope, 92% dos brasileiros dizem ter preconceito contra a gordofobia. Destes, apenas 10% assumiram que são realmente gordofóbicos, mostrando assim que realmente vivemos em uma sociedade onde ser gordo ainda é mal visto.

Vanessa dispõe não só nas páginas do livro, mas como modo de viver o poder maior de qualquer ser humano: ser o que quiser ser. ‘’Quero poder ser gorda. Muito gorda”, diverte-se.



Além da gordofobia, o livro esbarra em discussões bem atuais como racismo (aos antigos preconceitos somam-se novos, como a predileção por magros), dependências (comida sendo apenas um deles) e machismo – as cobranças por aparência ainda são muito mais corrosivas para mulheres.

Vanessa Sap arremessa uma pedra no espelho em que a sociedade se enxerga: “gordofobia”, e “classemediofobia” são apenas alguns dos cacos.

Textos/ Imagem: Cla Cri



Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

%d blogueiros gostam disto: