Viagem: qual a melhor opção de hospedagem em Nova York?

Túlio Melo*

 

Fala, turma!

Voltei, e agora a dica é hospedagem em Nova York!!!

Não sei vocês, mas faço parte do clube de gastar dinheiro com experiências, passeios, e economizar ao máximo com hospedagem e alimentação. Pensando dessa forma, não só em Nova York, mas nas grandes capitais mundiais pode se encontrar os famosos “hostels” ou albergues da juventude, como é popularmente conhecido no nosso Brasil. Nas duas oportunidades que estive em NYC, uma para estudar jazz, a qual comentei na dica anterior, e outra para fazer algumas audições, quem trabalha com música sabe do que eu estou falando, estive em dois albergues e vou comentar a minha experiência aqui com vocês. Ao final dou uma dica incrível de quem vai em família ou grupo de amigos e prefere alugar um apartamento. Isso mesmo! Conheci a brasileira que comanda esse tipo de serviço em NYC!

 

Uma dica importante para quem nunca ficar em um “hostel” é que a maioria deles oferece serviço de camareira uma vez ao dia, restaurantes e bares. O que acho mais legal na experiência de ficar em um hostel, é de ter uma cozinha superequipada disponível 24 horas para todos que estão hospedados. Então, vamos deixar a preguiça de lado e pilotar o fogão, porque vale a pena e se economiza muito! Até mesmo ir em um supermercado como o Whole Foods ou o Trader Joe’s, esse segundo o queridinho dos universitários, pois os preços são bem legais, pode ser uma experiência massa!

 



 

1) The Local

 

Galera, esse Hostel é demais, sem dúvida foi um dos melhores que eu já fiquei. A decoração é incrível, a atmosfera também é muito boa, os quartos são bem decorados, camas excelentes, tem uma bar legal que rola música ao vivo toda sexta, fora que eles dão dicas do que se fazer na cidade de graça ou por um preço simbólico durante a semana.

 

Pode-se fazer as reservas online, por ser um dos melhores de NYC, eles estão sempre bem ocupados, então dá uma conferida no site deles: http://thelocalny.com/

hostel1
Bar e café

 

hostel1-2
Meu quarto compartilhado

 

Dica: Procure se informar, pois a cada dia da semana existe um museu, parque, ou até mesmo o zoológico no qual você paga um valor que quiser ou de graça!

 



2) Q4 Hostel

 

A minha experiência no Q4 foi diferente. Esse albergue tem preços bem mais em conta, eu indicaria ele no caso de você estar de passagem por no máximo três dias ou precisa de um lugar só para dormir. O motivo dessa minha indicação é pelo simples fato de que ele fica na esquina em frente a uma linha do metrô. E, como todos sabem, no metrô em NYC, algumas linhas funcionam 24h, logo, você não pode ter problemas para dormir com barulho. Esse foi o único ponto negativo, porém a decoração, os quartos, o serviço, tudo é bem similar ao The Local.

 

Site para reservas ou mais informações: http://www.q4hotel.com/

hostel2
Lounge e cozinha ao fundo

 

hostel2-2
Meu quarto compartilhado

 

 

Dica geral sobre os albergues:

 

1.Pode-se ficar em quartos compartilhados, a partir de 4 pessoas até 6. Alguns deles têm até 8 pessoas, sempre dividos por sexo.

2.Sim, sai mais em conta ficar em um quarto privado em um hostel do que em um hotel na ilha de Manhattan.

3.Ambos os albergues que fiquei estão localizados fora de Manhattan, em um bairro chamado Long Island City, que ficava há duas estações da primeira parada em Manhattan.

4.Evite ficar na ilha de Manhattan, pois lá você paga mais e sinceramente você vai querer um pouco de silêncio a noite.

 



 

Aluguel de quartos:

 

Gente, esse tema é bem complexo, pois existem muitos grupos no Facebook com pessoas que alugam. Porém, eu prefiro fazer com alguém que já more lá há muitos anos, e para mim essa pessoa é a Silvia Gerber! Ela tem um grupo no Facebook e trata isso com muito carinho. O grupo se chama New York – Apartamento para alugar por temporada e, se vocês quiserem algo mais completo, ela também trabalha como guia. Gente, ela sabe TUDO de Nova York! Antes de viajar, confere o Snapchat dela, que se chama Ipanema, e também dá uma olhada na página dela do Facebook, New York Hoje.

 

Infelizmente não tenho noção de preços para apartamentos, mas em grupo, vale a pena demais.

Valeu e até a próxima!

 

*Túlio Melo (@tuliomelosinger) é bacharel em Canto Erudito pela UFPB e trabalha como cantor em navios de cruzeiro. Aventureiro, conseguiu reunir no trabalho suas duas paixões: a música e viajar o mundo. Escreve sobre suas aventuras ao redor do globo!

 

Veja Também:

Viagem: saiba como estudar inglês de graça em Nova York!

Entrevista: Tulio Melo fala sobre a carreira e o projeto de jazz que apresenta no Tramonto

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

Viagem: saiba como estudar inglês de graça em Nova York!

Túlio Melo*

 

Sim! Nova York é considerada uma das cidades mais caras para se morar, porém é possível estudar inglês de graça. Isso mesmo, 0800! Ou, como sempre falamos por lá, “Free 99”, e de brinde fazer diversas atividades de graça ou por um valor bem em conta.

Na minha passagem por Nova York em 2016, quando viajei para aprimorar mais meu inglês e estudar jazz na New York Jazz Academy, como um bom jovem que sabe do valor de cada centavo, procurei estar por dentro de tudo que poderia fazer na cidade de graça.



tulio4

Como fui focado no curso de jazz e tentando ao máximo controlar minhas despesas, pois nessa conta entrava aluguel, metrô e supermercado. Acabei descobrindo que as bibliotecas públicas em Nova York oferecem cursos de inglês para jovens e adultos, e salas de conversação. Era tudo o eu que precisava!

 

Os cursos são oferecidos por diversas bibliotecas, porém não todas. Você pode procurar pela mais próxima de onde você mora que ofereça o curso, mas antes de tudo é importante verificar as datas dos testes de nivelamento. Feito o teste de nivelamento, iniciam-se as aulas. O mais legal é que não se pede nenhum documento, existe apenas um cadastro que é feito no dia do teste com informações básicas.

Eu fui fazer um desses testes, mas infelizmente meu nível era avançado para os cursos oferecidos, então fui direcionado para as salas de conversação. A que mais frequentei foi na “Main Library”, que é considerada a biblioteca principal da ilha de Manhatann.

É fácil de identificar essa biblioteca, ela é a que tem os leões na frente, onde todo mundo vai tirar foto. Gente, esse lugar é impressionante, com salas de estudo abertas para o público, wifi grátis, exposições e muito mais.

tulio3

Por que escolhi essa sala? Eu cheguei a frequentar salas de conversação em outras bibliotecas, mas essa tinha algo de especial: uma professora maravilhosa, que sempre trazia temas interessantes, vídeos, fotos… e me senti muito confortável lá, fora a turma que sempre voltava e nos reencontrávamos, três vezes por semana: terça, quinta e sábado.



O que acontece numa sala de conversação? Os professores responsáveis por aquele horário vão entregar temas em pedaços de papeis para você debater com o seu grupo. Lá você

vai encontrar gente de todos os níveis de inglês, e de todas as nacionalidades também, o que é bem interessante, pois você sempre sairá com algum amigo de lá.

tulio1

Um curso que fiquei bastante interessado foi o de escrita (esse é de nível avançado, para quem quer escrever em inglês) mas infelizmente não o fiz, pois não deu tempo mesmo, mas se voltar a Nova York um dia, irei direto para este curso!

 

Dica

Recomendo ir com um nível básico de inglês, pois você vai precisar se locomover dentro da cidade e ler as informações nos sites que estão todas em inglês, a não ser que você tenha um guia pra lhe levar em todos os lugares e traduzir tudo, rsrs.

Para quem já fala inglês e se sente seguro para conversar, recomendo checar os horários das salas de conversação, galera! Vale a pena! E é de graça!!! Você pode ir diretamente em qualquer biblioteca e pegar algum folder sobre os cursos e horários das salas de conversação.

 

Confira mais informações no site geral das bibliotecas de NYC!

Veja também: Tulio Melo fala sobre a carreira e o projeto de jazz que apresenta no Tramonto

 

*Túlio Melo (@tuliomelosinger) é bacharel em Canto Erudito pela UFPB e trabalha como cantor em navios de cruzeiro. Aventureiro, conseguiu reunir no trabalho suas duas paixões: a música e viajar o mundo. Escreve sobre suas aventuras ao redor do globo!



Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3