Fest Aruanda celebra participação feminina nesta edição comemorativa

Na 15ª edição do Festival, mulheres integram o júri, estão entre as homenageadas e participam das mostras competitivas de curtas e longas

Representatividade é uma das palavras de ordem da edição do 15º Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro. Com a presença de mulheres no júri, entre as homenageadas e nas mostras, a participação feminina é a maior nos 15 anos de história do festival e não deve parar de crescer.

“Temos mulheres que integram o júri nacional, duas cineastas homenageadas – Vânia Perazzo e Helena Solberg – e a presença feminina se estende por toda a programação. Tivemos o cuidado de olhar para isso, para a representatividade”, explica o curador do festival, Amilton Pinheiro.



De acordo com Amilton, a participação das mulheres vem crescendo a cada ano. “Procuramos ver a linguagem de cinema, quando nos deparamos com filmes de qualidade promovidos por mulheres, ficamos muito felizes. Não é uma cota, mas cinema feito por mulheres”, completa Amilton.

Diretoras – Entre as realizadoras paraibanas ele cita a diretora Ângela Gaeta do curta “Maracastelo Chegou”; Rayssa Prado, diretora do curta “A Pontualidade dos Tubarões”, e Kalyne Almeida, diretora do longa “Aponta Pra Fé – Ou Todas as Músicas da Minha Vida” que participam das Mostras Competitivas de Curtas e Longas “Sob o Céu Nordestino”. A obra de Kalyne também integra a Mostra Competitiva Nacional.

O Fest Aruanda continua nesta quarta-feira (16) com mais debates e sessões, além da solenidade de encerramento presencial, na sala MACRO XE, do Cinépolis Manaíra, como parte da programação híbrida, novidade nesta edição 2020.



Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

%d blogueiros gostam disto: