Crítica: Nasce uma Estrela nos apresenta uma história de amor com novas nuances  

Nasce uma Estrela

O filme Nasce uma Estrela, interpretado por Lady Gaga e Bradley Cooper, traz em sua nova versão aos cinemas uma visão moderna ao amor e suas dependências emocionais no mundo da música. O conto de fadas conta a história de Ally (Lady Gaga), uma garçonete aspirante a cantora que se apresenta num bar drag, e Jackson Main, um cantor de country rock que tem problemas com álcool e drogas e resolve passar neste estabelecimento após sua apresentação. Após seu encantamento imediato ao ver a cantora se apresentando, cantando La Vie en Rose da Edith Piaf, é quando a narrativa inicia a nos apresentar uma história com essências clichês, mas sua estrutura diferenciada nos entrega um novo direcionamento às realidades, e a partir daí começa uma história de amor e companheirismo musical.

No enredo o roteiro consegue trazer um novo aspecto de sua quarta versão, antes houveram as versões com Barbra Streisand (1976), Judy Garland (1954) e Janet Gaynor (1937), trazendo temas familiarizados pelo público, mas colocando sob uma nova perspectiva sem projetar um vitimismo feminino exagerado por causa das situações extremas do Jack e a colocando como frágil. Pelo contrário, sua força de vontade em tentar ajuda-lo é muito mais forte, mostrando suas tentativas de apoio e assim levantando um dos questionamentos mais polêmicos do longa. As trajetórias de ascensão de Ally em contrapartida à decadência de Jack, assim como a retratação dos desafios que surgem quando a personagem consegue adentrar na indústria fonográfica e a pressão de identificar o estilo que condiz com sua personalidade estando em um processo de construção.



A ousada tentativa de Bradley Cooper em dirigir, escrever, tocar, cantar e atuar no filme nos mostra que ele aceitou o desafio do projeto e se entregou por inteiro, apresentando seu melhor trabalho nas telonas. Lady Gaga foi a grande surpresa da vez, ao conseguir mostrar ao mundo que não era somente uma ótima cantora, mas também uma excelente atriz e conseguiu desempenhar muito bem seu papel. A ambientação sonora da obra é muito bem executada, com produção da Live Nation, principal produtora musical do mundo, responsável por realizar grandes festivais e reproduzir os shows que ficaram tão vívidos na tela. A trilha sonora ficou sob autoria de Lady Gaga e o produtor Mark Ronson, principal parceiro produtor da música atual.

nasce-uma-estrela-1.1

Nasce uma Estrela nos apresenta um remake muito bem desenvolvido em sua conjuntura e segue a fórmula dos romances dramáticos com uma roupagem que introduz em sua retratação elementos favoráveis ao desenvolvimento dos personagens e seus mártires.

 

 

*Isabelle Vasconcelos/ estagiária sob supervisão

Fotos: divulgação

 

Leia também: Crítica: filme Ana e Vitória é um retrato sensível do amor nos tempos de Internet

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

%d blogueiros gostam disto: