Crítica: Fome de Poder, o filme que todo empreendedor precisa assistir

fome de poder



Afinal de contas, quem são os reais criadores do McDonald’s? Essa é a pergunta que permeia o filme Fome de Poder, ou em inglês “The Founder”. A produção mostra como os irmãos Mac e Dick McDonald’s tiveram a sua ideia praticamente tomada de suas mãos por Ray Kroc, um vendedor de multiprocessadores de milk shakes.

Na história, ao negociar a venda de alguns produtos para lanchonetes, Ray desconfia da veracidade de um pedido vindo de um drive-in na Rota 66. O estabelecimento encomendou oito multiprocessadores de milk shakes, capazes de fazer dezenas de unidades da bebida de uma só vez. Curioso, ele decide ir até lá conferir de perto e acaba se deparando com um modelo de negócio inovador: uma lanchonete com a cozinha modulada que impunha ao giro da hamburgueria um ritmo de produção fordista, tornando o tempo de entrega ínfimo. A partir daí, Ray decide convencer os irmãos McDonald’s, donos do estabelecimento, a lhe deixarem entrar no negócio e expandi-lo com franquias para o país inteiro.

Apesar do enredo não parecer muito inspirador à primeira vista, já que a história de Ray Kroc beira a completa falta de moral, é possível tirar grandes ensinamentos da narrativa. Alguns momentos merecem ser destacados, como a cena em que os irmãos McDonald’s (que inclusive são os personagens mais interessantes do filme) contam como tiveram a ideia do modelo de negócio. Como todo empreendedor, após diversos fracassos e momentos pensando em desistir, eles enfim conseguiram lapidar a ideia e torna-la um sucesso.

Até mesmo do personagem Ray é possível tirar um ensinamento que ele mesmo nos conta mais para o final do filme: a persistência. Depois de empreender por muito tempo no ramo das vendas, sempre de forma malsucedida, ele finalmente consegue o que queria: uma “mina de ouro” que lhe garante dinheiro e, consequentemente, poder. Uma pena que para isso ele tenha escolhido o caminho da desonestidade, “passando a perna” nos reais criadores do negócio.

Fome de Poder não é um clássico da inspiração empreendedora, mas vale a pena ser assistido para entender o que se passa nos bastidores de uma empresa no porte do McDonald’s. E também para aprender com os geniais e, lamentavelmente, azarados irmãos que idealizaram o modelo da rede que perdura até hoje.

 

*por Érica Rodrigues

 

Leia mais – O documentário “Gaga: Five Foot Two” e a verdade sobre Lady Gaga



Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Quer receber mais conteúdo legal gratuitamente no seu e-mail? Assine a nossa Newsletter!

%d blogueiros gostam disto: