O louco genial: Nietzsche e Carol

Gil Campos

 

Quando Carol descobriu que juntando algumas letrinhas se formava uma palavra, ela passou a frequentar a minha prateleira de livro, onde passava longos minutos, de pé, olhando fixamente para os livros perfilados e observando seus títulos. Ora a cabeça pendia para um lado e outro, ora dava centímetros passos laterais. Claro que na altura que sua visão permitia. Mas havia um ponto naquela prateleira que ela fixava continuamente, franzia a testa e balbuciava algo que eu não compreendia. Também confesso que nunca tive a curiosidade de perguntar algo, ao menos para ajudá-la.

Os anos se passaram e Carol se tornou uma leitora voraz. E, diante da mesma biblioteca, dias atrás, ela fez um comentário: “papai, quando era criança, eu adorava ler os títulos dos seus livros, mas tinha um que eu não conseguia pronunciar. Era aquele…”, e me apontou a obra Nietzsche – Biografia de uma tragédia (Geração Editorial, 1ª edição, setembro de 2001, 363 páginas), do escritor Rüdiger Safranski.

Uma década depois é que descobri que aquela apaixonada pela literatura, por Raulzito e pelos os Beatles, ficava tentando juntar as letrinhas para pronunciar a palavra Nietzsche. E esta semana, passei a reler a biografia deste gênio louco nascido na Prússia, em 15 de outubro de 1844, e que terminou seus dias numa camisa de força, “até que seu cérebro se apagou, e ele morreu apático, no dia 25 de agosto de 1900”.

Nietzsche foi um homem único na sua época. Dizia que queria tornar-se autor da sua própria vida, através de seu pensamento. No dia 29 de julho de 1888, ele escreveu a um amigo: “Absolutamente não é preciso, nem ao menos desejado, tomar partido em meu favor: ao contrário, uma dose de curiosidade, como diante de uma excrescência estranha, com uma resistência irônica, me pareceria uma postura incomparavelmente mais inteligente”.

Amado com a mesma intensidade com que era odiado, este magnífico filósofo deixou uma riqueza para muitas gerações: seu modo de pensar. Aliás, seu pensamento é existencial porque se trata da conformação de sua própria vida. É também experimental, já que “põe à prova todo conhecimento e tradição moral”. Ele foi muito mais que isso: foi provocador.

Conhecer a vida de Nietzsche (e uma das oportunidades para isso está na obra de Rüdiger Safranski) é conhecer a mediocridade que invadiu e procriou na sociedade humana até os dias de hoje.  Ele era uma usina de produção de interpretações. O próprio autor diz que “com o pensamento de Nietzsche não chegamos a parte alguma, não há resultante, não há resultado. Nele existe apenas a vontade da interminável aventura do pensar”, e essa vontade brilhou nos seus olhos até o último suspiro.

O amigo August Homeffer o visitou, já doente e totalmente enlouquecido, e constatou esse fascínio. “(…) os minutos em que estivemos em sua presença são das mais preciosas recordações de nossa vida (…) Apesar de ter os olhos baços e as feições abatidas, apesar do pobre estar deitado ali com os membros torcidos, mais desamparado do que uma criança, a sua personalidade emanava um fascínio, e revelava-se uma majestade em sua figura que nunca mais senti em nenhuma pessoa”.

E, com certeza, quem conhecer a obra deste gênio, também não será a mesma pessoa.

Estreias da semana: cinco novos filmes na telona

Estreiam hoje nos cinemas da Paraíba os longas “Versões de um crime”, “Fome de Poder”, “Papa Francisco: Conquistando Corações”, “Kong: A Ilha da Caveira” e “Silêncio”.

Confere as sinopses e os trailers pra já chegar no cinema por dentro de tudo!

 

Versões de um crime

versões-de-um-crime

Quando um adolescente é acusado de assassinar o pai rico, um advogado (Keanu Reeves) é encarregado de defendê-lo no tribunal e revelar a verdade por trás do crime. À medida que investiga, descobre que a mãe do garoto (Renée Zellweger) está ocultando diversos fatos essenciais ao caso.

 

Fome de Poder

fome-de-poder

A história da ascensão do McDonald’s. Após receber uma demanda sem precedentes e notar uma movimentação de consumidores fora do normal, o vendedor de Illinois Ray Kroc (Michael Keaton) adquire uma participação nos negócios da lanchonete dos irmãos Richard e Maurice “Mac” McDonald no sul da Califórnia e, pouco a pouco eliminando os dois da rede, transforma a marca em um gigantesco império alimentício.

 

Papa Francisco: Conquistando Corações

papa-francisco

Quando criança, o jovem Jorge nunca imaginaria quem viria a se tornar no futuro. Com o passar dos anos, o argentino Jorge Mario Bergoglio (Darío Grandinetti) começou sua preparação para, finalmente, ser sacramentado como o Sumo Pontíficie da Igreja Católica, o Papa Francisco. Esta é a história de sua vida.

 

Kong: A Ilha da Caveira

kong2

1944, durante a Segunda Guerra Mundial. Dois aviões, um americano e outro japonês, são abatidos em pleno combate aéreo. Os pilotos sobrevivem, chegando a uma ilha desconhecida no Pacífico Sul. Lá eles dão continuidade à batalha, sendo surpreendidos pela aparição de um macaco gigante: Kong. Em 1973, Bill Randa (John Goodman) tenta obter junto a um político norte-americano a verba necessária para bancar uma expedição à tal ilha perdida. Ele acredita que lá existam monstros, mas precisa de provas concretas. Após obter a quantia, ele coordena uma expedição que reúne militares, liderados pelo coronel Preston Packard (Samuel L. Jackson), o rastreador James Conrad (Tom Hiddleston) e a fotógrafa Mason Weaver (Brie Larson).

Silêncio

silencio

Século XVII. Dois padres jesuítas portugueses, Sebastião Rodrigues (Andrew Garfield) e Francisco Garupe (Adam Driver), viajam até o Japão em uma época onde o catolicismo foi banido. À procura do mentor deles, padre Ferreira (Liam Neeson) os jesuítas enfrentam a violência e perseguição de um governo que deseja expurgar todas as influências externas.

 

Para mais informações sobre sessões e horários, acesse:

João Pessoa

http://manairashopping.com/cinema/

http://www.cinepolis.com.br/programacao/

http://www.magshopping.com.br/cinema

Campina Grande

http://partagecampina.com.br/site/cinema/

Patos

http://www.guedesshopping.com.br/inicio

Guarabira

https://www.facebook.com/cinemaxxicidadeluz/

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Artigo: “Um poeta é puto”

Gil Campos

 

Não lembro em qual ocasião nos encontramos pela última vez. Só tenho a certeza que esse encontro aconteceu em João Pessoa, capital paraibana, no dia 28 de outubro de 1993 quando,  por ele, fui presenteado com um vinil com a seguinte dedicatória: “Com um grande abraço do companheiro da arte e imprensa”. Passaram-se mais de 23 anos até que, nesta Terça de Carnaval, apreciando uma cerveja e lendo um livro sobre a ditadura militar, inexplicavelmente, me veio à mente o amigo e o presente. Foi algo como um estalo, ou insight como queiram.

Numa padaria, a dois quarteirões de casa, não esperei terminar a bebida, que até então estava por demais prazerosa, e retornei a passos largos entre pernas curtas para procurar o vinil. Tinha certeza que o tinha, mas não sabia onde se encontrava. E, literalmente, desmontei o escritório onde guardo meu passado.

Eis que, depois de horas, estava em minhas mãos com a obra SPP – Sociedade dos Poetas Putos, gravado em 1990 pelo amigo, colega de imprensa e, hoje, confrade da Academia de Letras – ele da Paraibana (APL) e eu da Guarulhense (AGL) – Carlos Aranha. Faz tempo, hein companheiro!

Limpei minha vitrola e coloquei o vinil. Ao som de Aranha, retornei à cerveja. Carlos Aranha é um desses artistas que considero “patrimônio tombado da Paraíba”. Seja pela sua arte, seja por ele ser um ser “rebelionário” e um mito. Aliás, não é qualquer um que tem uma ligação visceral-espírita com o nosso maior poeta Augusto dos Anjos.

No encarte do SPP foi escrita uma pequena biografia do artista, nascido em 1946. Nela, nosso multimídia descreve a música e a poesia como “as coisas reais do coração”, e foi a partir deste músculo vital à nossa sobrevivência que ele passou a revolucionar a cultura paraibana, tendo sido destaque na geração 1968, quando participou do II Festival Paraibano da Música Popular Brasileira, e não parou mais. Ou seja, por meio da música e da poesia, ele chacoalhou os alicerces paraibanos e tudo valeu a pena, ao contrário da frase de Bob Dylan que o próprio Aranha transcreveu no encarte do seu trabalho e que diz: “Se pensais que vale a pena salvar a vossa geração, melhor é que comeceis a nadar porque os tempos estão a mudar”.

Sim, os tempos mudaram, mas Aranha continua a mesma joia da nossa cultura, muita mais lapidada, reluzente e valiosa. Aranha merece ser estudado.

A própria letra da obra Sociedade dos Poetas Putos é um chute nos culhões de uma sociedade hipócrita. E daqueles que escrevem meia dúzia de palavras com rimas e se intitulam “grandes poetas”.

A SPP sempre estará mais que atualíssima: “Quando me faltou a sensação de jornalista, senti não ser um bruxo nem David Copperfield; me senti como um poeta muito puto, incapaz de vender coca, o corpo, o absurdo… O primeiro prédio era um fero-de-engomar, passando meia, vaginas, veias, confissões, como se o mundo fosse a roupa de Beto Barbosa usada por novos cartas, pais e profissões. Apesar de ser poeta ao mesmo tempo puto, jamais imaginei a ilusão maior do menor luxo. Enquanto a coca enche o nariz, a grana incha a matriz, o pênis penetra a velha atriz. Há pouco que poetar e discursar, há muito que ganhar no fio da navalha, fazer da vida o começo do fim do nada. É bom gozar no absurdo natural, na sociedade dos poetas vivos um poeta é puto”.

9 rolês gratuitos para curtir neste fim de semana em João Pessoa

O Carnaval acabou e levou com ele toda a sua grana? A gente ajuda! Não tem porque ficar enfurnado em casa só por isso. Selecionamos algumas opções para curtir este fim de semana mesmo com pouca ou nenhuma grana. Se liga!

 

Opções gratuitas \o/

 

HQs

 

Hoje (04/03)

“Tertúlia HQ”

tertlia-foto-thercles-silva-300x200

A Funesc realiza mais uma edição do projeto Tertúlia HQ, que dá continuidade ao tema “Métodos e técnicas digitais para construir uma história em quadrinhos”. O projeto foi criado para que autores e entusiastas das histórias em quadrinhos tenham um ambiente para discutir temas relacionados a este universo.

ENTRADA FRANCA

Local: Gibiteca Henfil

Horário: 16h às 18h

 

 

Exposições

 

Exposição fotográfica “Todas diferentes, todas iguais”

O público pode conferir mais de 30 fotografias tiradas pelos alunos da Escola Municipal Antônio Santos Coelho, no bairro da Penha, que aprenderam, no mesmo momento, a arte de fotografar suas identidades e a ter estima por sua raça e cultura. A ideia é ajudar adolescentes, jovens e mães a desenvolverem um olhar mais crítico de sua realidade.

Local: Estação Cabo Branco, primeiro pavimento da Torre Mirante

Expositor: Projeto Fotógrafos de Rua

Horário de visitação: terça a sexta, das 9h às 18h e sábados, domingos e feriados, das 10h às 19h

ENTRADA FRANCA

 

 

Exposição Coletiva Epifania

Com obras de diferentes formatos, como desenhos, pinturas, esculturas em papietagem e instrumentos artesanais, a exposição mostra a variação dos tipos de arte produzidos em João Pessoa.

Local: Estação Cabo Branco, primeiro pavimento da Torre Mirante

Expositores: Guilherme Semmedo, Jandy Rocha e William Macedo

Horário de visitação: terça a sexta, das 9h às 18h e sábados, domingos e feriados, das 10h às 19h

ENTRADA FRANCA

 

 

Exposição Biodiversidade em Recifes de Corais

Na exposição, é possível apreciar 19 fotografias subaquáticas tiradas de lugares inusitados, que nos transportam para a curiosidade sobre o universo marinho, ao mesmo tempo que valoriza a biodiversidade local em áreas de recifes de corais do Seixas.

Local: Estação Cabo Branco, primeiro pavimento da Torre Mirante

Expositores: Dhieggo Gomes

Horário de visitação: terça a sexta, das 9h às 18h e sábados, domingos e feriados, das 10h às 19h

ENTRADA FRANCA

 

 

Exposição de objetos “Imaginário de Carnaval”

Todo o glamour das fantasias produzidas por Celene Sitônio para escolas de samba, festas a fantasia e bailes de máscaras nos transportam para o glamour e as cores do Carnaval.

Local: Estação Cabo Branco, primeiro pavimento da Torre Mirante

Expositores: Celene Sitônio

Horário de visitação: terça a sexta, das 9h às 18h e sábados, domingos e feriados, das 10h às 19h

ENTRADA FRANCA

 

 

“Exposição Entre Páginas”

A exposição é fruto da Semana Nacional de Quadrinhos, que aconteceu na Estação Cabo Branco no final de janeiro. O visitante pode apreciar os mais variados traços de cartunistas, ilustradores, chargistas e desenhistas em quadrinhos e HQ´s. Estão expostos trabalhos de artistas como Mike Deodato e Henrique Magalhães.

Local: Estação Cabo Branco, primeiro pavimento da Torre Mirante

Expositores: Mike Deodato, Thais Gualberto, Henrique Magalhães, João Vidal, Gabriel Jardim, Emir Ribeiro, Ricardo Jaime, Jack Herbert

Horário de visitação: terça a sexta, das 9h às 18h e sábados, domingos e feriados, das 10h às 19h

ENTRADA FRANCA

 

 

Opções no precinho 

 

Teatro

 

Amanhã (05/03)

“Cabaré Efêmero”, com o grupo Lume Teatro (SP)

cabaré-efêmero

Durante o espetáculo, em um cenário cheio de objetos, ideias e provocações, o Palhaço Teotônio (Ricardo Puccetti) improvisa e se coloca em risco. A criação e atuação são de Ricardo Pucetti e a indicação etária é de 12 anos.

Valor: R$ 5 (meia) e R$ 10 (inteira)

Horário: 20h

Local: Teatro Paulo Pontes

 

 

Música

 

Hoje (04/03)

Usina da Música com Ap Onze com participações de Triadband e Cisy

O show deve contar com repertório, com influências musicais como Red Hot, Nx Zero e Barão Vermelho.

Valor: R$ 7,00

Local: Sala Wladimir Carvalho, Usina Cultural Energisa

Horário: 16h

 

Amanhã (05/03)

Usina da Música com Chico Limeira

chico-limeira

O músico pessoense Chico Limeira embala a noite de domingo com show no Café da Usina.

Valor: R$ 10,00

Local: Sala Wladimir Carvalho, Usina Cultural Energisa

Horário: 16h

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

A simbologia n’As Crônicas de Nárnia

A saga “As Crônicas de Nárnia”, do autor C. S. Lewis, é bastante influenciada por referências cristãs, além das mitologias grega e nórdica. A série conta a história da terra de Nárnia, desde sua criação até o seu fim, um reino mágico onde árvores andam, animais falam, há faunos, dríades e outros seres mitológicos. Os personagens principais são crianças, levadas magicamente até Nárnia para lutar contra o mal com a ajuda do Grande Leão, conhecido como Aslam.

 

Analisamos algumas dessas simbologias no vídeo:

 

 

Aproveita pra se inscrever no nosso canal e ficar por dentro de tudo!

Compartilhando: os 10 links que marcaram a semana

Atualmente a gente tem acesso muito facilmente a tudo o que acontece no mundo, através da internet. Mas, infelizmente, muita coisa passa despercebida enquanto navegamos por aqui. Pra gente não perder nada importante, decidimos trazer aqui um compilado de assuntos que marcaram a semana passada na nossa timeline.

Selecionamos os 10 links que marcaram a semana. Tem assunto leve, mas tem muita coisa pesada e importante também!

 

1. A modelo brasileira Valentina Sampaio foi a primeira trans a ser capa da Vogue Paris!

 

2. Na Alemanha, um casal de pinguins gays com filhote adotivo comemora 10 anos de união

 

3. O Viaje na Viagem selecionou destinos ideais para ir em cada um dos feriados de 2017 <3

 

4. Um grupo de 35 psiquiatras, psicólogos e assistentes sociais norte-americanos consideraram Donald Trump emocionalmente incapaz de servir com segurança ao cargo de presidente dos EUA

 

5. A revista Mundo Estranho reuniu histórias de heróis que protegeram e salvaram judeus na Segunda Guerra Mundial

 

6. Mãe australiana publica carta de filha que cometeu suicídio após estupro

 

7. Dubai será a 1ª cidade a adotar táxis voadores autônomos!

 

8. A revista TPM publicou entrevista que revela que mulheres brasileiras tentam mais suicídio do que os homens

 

9. Um restaurante italiano oferece desconto para pais de crianças comportadas

 

10. Um jovem de 17 anos morreu no Mato Grosso após ter mangueira de ar inserida no ânus

 

A gente sabe como é péssimo ler notícias ruins, mas precisamos debater assuntos sérios! Esperamos ter ajudado a deixar vocês mais informados.

Carnaval: como se arrumar gastando pouco?

O Carnaval tá chegaaaando e por aqui na Paraíba a folia já começou! Muitos blocos já estão indo pra rua (hoje é dia de Claudia Leitte no Bloco dos Atletas!!) e todo mundo quer entrar no clima na hora de se vestir pra festa. Mas como fazer fantasias de Carnaval baratas? A gente ensina!

Se você quer conferir toda a programação do fim de semana em João Pessoa (com várias opções gratuitas), clique aqui.

 

Maquiagem

A maquiagem é uma saída maravilhosa para quem quer fazer fantasias de Carnaval baratas. Dá pra usar vários produtos que a gente já tem em casa e fazer uma make pra arrasar! Pra quem vai sair com abadá de bloco também é ótimo, pois dá aquela complementada no look.

Dá pra fazer váárias makes que são quase uma fantasia. E não tem porque os homens ficarem de fora da brincadeira, olha essa fantasia de ~casal-caveira-mexicana~ que legal!

maquiagens1
A maquiagem pode ser a sua fantasia!

Outra opção ótima pra entrar no clima gastando muito pouco é usar glitter, que tem tudo a ver com a festa! Dá pra colar por cima da make (cola de cílios é ótima pra isso) ou até usar lantejoulas pra compor a produção.

maquiagens2
Glitter tem tudo a ver com o Carnaval e é bem baratinho!

 

Acessórios

Os acessórios são um curinga pra quem quer arrasar no estilo sem pesar no bolso. Dá pra usar coroa de flores, headbands com fitas, tubantes e muito mais! E o melhor é que dá pra fazer tudo em casa!

acessórios1
Tiaras e headbands salvam a vida na hora de compor o look!

 

acessórios2
E ainda dá pra combinar o acessório com a sua fantasia!

 

Fantasias simples

A internet está lotada de ideias pra fazer fantasias legais com o que se tem em casa. Se você não tem grana pra comprar ou alugar uma, relaxa que dá pra ter muito estilo gastando pouco ou nada! Personagens de filmes e séries também são uma ótima saída pra arrasar na fantasia. Dá até pra montar um look de casal, com referência a personagens que vocês adoram!

fantasias
Dá pra montar várias fantasias super legais com o que se tem em casa!

 

Ficou interessado? A gente reuniu alguns tutoriais pra te ajudar!

 

 

 

 

 

Pronto, agora é só cair na folia! Bom Carnaval!!!

 

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Quer receber mais conteúdo legal gratuitamente no seu e-mail? Assine a nossa Newsletter!

Estreias da semana: suspense, terror e dois indicados ao Oscar

Estreiam hoje nos cinemas da Paraíba os longas “Lion – Uma Jornada Para Casa” (indicado ao Oscar em seis categorias), “Aliados” (indicado ao Oscar de Melhor Figurino), “John Wick – Um Novo dia para Matar” e o terror “A Cura”.

Confere as sinopses e os trailers pra ficar por dentro de tudo!

 

Se você vai assistir ao Oscar, segue a gente no Twitter! Vamos comentar tudo por lá!

 

Lion – Uma Jornada Para Casa

slide-8

Baseado no livro autobiográfico de Saroo Brierley, chamado A Long Way Home, o filme é estrelado por Dev Patel (Quem Quer ser um Milionário?), Nicole Kidman (Olhos da Justiça), David Wenham (300: Ascensão do Império) e Rooney Mara (Carol). O longa traz a jornada real de um menino indiano de 5 anos, que se perde nas ruas de Calcutá, a milhares de quilômetros de casa. Após sobreviver a diversos desafios, é adotado por um casal australiano. Vinte e cinco anos depois ele parte para uma nova jornada afim de encontrar sua família perdida. O drama é dirigido por Garth Davis (da série Top of the Lake).

 

 

 

Aliados

aliados

Em uma missão para eliminar um embaixador nazista em Casablanca, no Marrocos, os espiões Max Vatan (Brad Pitt) e Marianne Beausejour (Marion Cotillard) se apaixonam perdidamente e decidem se casar. Os problemas começam anos depois, com suspeitas sobre uma conexão entre Marianne e os alemães. Intrigado, Max decide investigar o passado da companheira e os dias de felicidade do casal vão por água abaixo.

 

 

 

John Wick – Um Novo dia para Matar

john-wick-2-posterjpg-fe1944_1280w

John Wick (Keanu Reeves) é forçado a deixar a aposentadoria mais uma vez por causa de uma promessa antiga e viaja para Roma, a Cidade Eterna, com o objetivo de ajudar um velho amigo a derrubar uma organização internacional secreta, perigosa e mortal de assassinos procurados em todo o mundo.

 

 

 

A Cura

a-cura

Um ambicioso executivo é enviado para os Alpes Suíços para resgatar o CEO de sua companhia de um ‘Centro de Cura’, mas logo descobre que o local não é tão inócuo quanto parece.

 

 

Para mais informações sobre sessões e horários, acesse:

João Pessoa

http://manairashopping.com/cinema/

http://www.cinepolis.com.br/programacao/

http://www.magshopping.com.br/cinema

Campina Grande

http://partagecampina.com.br/site/cinema/

Patos

http://www.guedesshopping.com.br/inicio

Guarabira

https://www.facebook.com/cinemaxxicidadeluz/

O Círculo (Dave Eggers): Resenha do livro e filme com Tom Hanks e Emma Watson

Érica Rodrigues

 

Recentemente saiu o novo trailer da adaptação para os cinemas do best-seller “O Círculo”, de Dave Eggers. Ganhei esse livro de presente de aniversário em 2014 e já falei sobre ele algumas vezes, mas resolvi fazer um vídeo mais aprofundado com a minha opinião a respeito dele.

O romance narra a trajetória de Mae Holland (interpretada por Emma Watson no filme) n’O Círculo, uma empresa que reúne, em um futuro distópico, redes sociais, contas bancárias, sistema de busca na internet… Enfim, tudo o que envolve a nossa vida digital.



IMG_1015

Basicamente, o livro faz uma crítica à era da internet e ao compartilhamento de informações pessoais online. Até onde é saudável expor a nossa vida na internet? A nossa necessidade de ser reconhecidos e amados deve ser fomentada através das redes sociais?

Confere o vídeo pra entender melhor a discussão:

 

 

Quer receber mais conteúdo legal gratuitamente no seu e-mail? Assine a nossa Newsletter!

 

O filme estreia nos cinemas dos EUA no dia 28 de abril e terá no elenco Tom Hanks, Emma Watson, Karen Gillan, Patton Oswalt,  Bill Paxton e John Boyega.  Confere o trailer:

 

 

Leia mais sobre livros clicando aqui!

 

Você pode comprar o livro aqui, aproveitando que a Livraria Cultura está com todo o site com Frete Grátis acima de R$119 e em até 10x sem jurosshow?id=vsXS*qH1P8o&bids=397418 .

 

ISBN: 978-85-359-2478-7| Editora: Companhia das Letras | Páginas: 520 | Nota: 3/5

 



Curtiu o conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá!

 

 

Ainda dá tempo?

Gil Campos

 

Esta semana, diante do falso silêncio no interior de um vagão do Metrô, passei a observar o quanto as pessoas estão escravizadas ao tempo. A todo instante, aqui ou acolá, alguém estava olhando o visor do relógio. Na saída da estação Anhangabaú segui pela avenida Xavier de Toledo. Em 200 metros de caminhada, três pessoas me perguntaram as horas. Nada de “bom dia” ou um simples “olá”. O cumprimento da vez é: “que horas, por favor?”.

Aquela situação me fez lembrar um livro, que li há cinco anos, chamado Sobre o Tempo (Pulso Editorial, 2010, 286 páginas). Escrito pela fonoaudióloga Andréa Bomfim Perdigão, trata-se – na verdade – de um livro de entrevistas onde ela, a autora, tenta mostrar como as pessoas tendem a lidar com o tempo, não apenas o do relógio, como seus tempos internos e subjetivos.

Entre os entrevistados, destaco o grande mestre Ariano Suassuna, o jornalista Marcelo Tas, a Monja Coen, o cantor Tom Zé, o publicitário Washington Olivetto, o artista Domingos de Oliveira, o mestre espiritual Sri Prem Baba, a cineasta Andrucha Waddington, e tantas outras personalidades que nos doaram um pouco do seu tempo para tentar nos explicar o que é o tempo. Resolvi tirar um tempinho do meu tempo para reler Sobre o Tempo.

Me fez refletir o que disse o historiador de Filosofia Márcio Tavares D’Amaral. Para ele, as pessoas hoje não podem mais conversar porque elas são muito ocupadas. “Ser ocupado é um sofrimento”, assegura.  Há quem aconselha, e isso já ouvi muito, ser necessário tirar um pouquinho o pé do acelerador no dia a dia, e curtir. Mas cada um tem o seu tempo!

A Monja Coen discordou das frases tão usuais nos dias atuais, tais como: “Não dá tempo” ou “Não tenho tempo”. Na entrevista publicada no capítulo “O Agora Eterno”, ela afirma que “quanto mais coisas nós tempos para fazer, mais coisas nós somos capazes de realizar. Na programação de uma pessoa extremamente atribulada, sempre cabe mais alguma atividade”.

A verdade é que não dá para parar. O tempo passa de maneira diferente para cada um. Como disse a física Maria Cristina Abdalla, o “tempo passa diferente dependendo da velocidade em que você está”.

Dói aos meus ouvidos, por exemplo, quando alguém me diz que não leu tal livro “porque não teve tempo”. Impossível não se ter tempo para uma simples leitura. Será que dá tempo para reler o que a Monja Coen disse algumas linhas acima?

Fazemos o nosso tempo. Vivemos o nosso tempo. O seu tempo é diferente do tempo da pessoa que está agora ao seu lado, enquanto você dedicou um minutinho do seu tempo para ler este artigo literário. Às vezes, para alguns, a vida é louca por falta de um mínimo de organização; para outros, ela é gostosa de se viver, justamente por ser louca e desorganizada. Já pensou qual é o seu tempo? Pense e, assim, o aproveite da melhor forma possível; inclusive lendo bons livros.