Viagem: roteiro de 4 dias em Lisboa!

Érica Rodrigues

Viajei para Portugal em novembro e o primeiro lugar que visitei foi Lisboa. Amei muito o clima da cidade, que além de linda é super acessível e uma das capitais mais baratas da Europa. Fiquei apenas quatro dias por lá e vou compartilhar aqui o roteiro que segui na viagem.

Dia 1:

Chegamos às 11h da manhã no aeroporto e já corremos para comprar um chip da Vodafone. Escolhi o de 2GB que me custou 20 euros. Pra mim era essencial ter internet o tempo todo, para poder postar nas redes sociais do site (siga o nosso instagram @rotaprincipal) e usar o google maps, aplicativo do metrô e etc.

Pegamos o métro para o nosso hotel (Sana Rex), que fica no Parque Eduardo VII. Compramos um cartão ilimitado para quatro dias na cidade, que dá direito a andar de metrô, ônibus, bondinho e alguns barcos. O cartão custou 24 euros e foi um ótimo investimento.

O métro lá é muito fácil de usar, mas recomendo baixar o aplicativo para poder estar com o mapa das linhas sempre à mão. Ao chegar na estação Marquês de Pombal, notamos que teríamos que subir uma ladeira considerável com as malas, o que foi bem cansativo. Recomendo reservar uma grana para fazer esses trajetos aeroporto – hotel de táxi, pois não é um meio de transporte muito caro e evita muito perrengue com malas.

Depois de fazer check-in no hotel seguimos o conselho de um funcionário muito solícito de lá e fomos comer no restaurante Sardinheira, que fica bem próximo ao parque. Vale muito a pena ir a esse restaurante se estiver por aquelas áreas, pois além de barato (pagamos 9 euros por pessoa numa refeição de prato principal, suco e sobremesa) tem uma ótima culinária portuguesa caseira.

À tarde, pegamos novamente o métro até a estação Santa Apolónia e andamos até o Panteão Nacional. O bairro de Alfama é encantador, vale a pena andar pelas ruelas e apreciar a paisagem.

De lá, andamos até o Castelo de São Jorge. É uma caminhada considerável, mas o bairro é bem agradável. Nos perdemos um pouco, mas os portugueses são muito solícitos quando se pede informação. O castelo é parada imperdível na cidade! A vista é maravilhosa e pudemos apreciar o pôr do sol no rio Tejo, uma cena para jamais esquecer!

IMG_9640

Na volta, pegamos um ônibus até a Praça da Figueira e de lá, um métro para o nosso hotel.

À noite fomos de táxi até o Centro Comercial Colombo fazer compras. Não levamos quase nada de roupas de frio, pois João Pessoa é bem quente, e resolvemos comprar tudo lá. Foi uma ótima decisão, pois os preços são muito em conta e é possível fazer boas aquisições. O shopping é imenso e tem opções para todos os gostos. Vale a visita!

Resumo do primeiro dia:

Panteão Nacional

Castelo de São Jorge

Praça da Figueira

Centro Comercial Colombo

 



 

Dia 2:

Acordamos cedo, tomamos café no hotel e fomos de métro até a Praça do Comércio. O lugar é lindo, com o rio Tejo de um lado e praça do outro, cheia de cafés e com uma arquitetura incrível! Subimos no arco da rua Augusta e apreciamos a vista de lá de cima. Dá pra ver boa parte de Lisboa de lá e custa apenas 2,50 euros a subida. Vale muito a pena!

IMG_0387-e1483618163823

Andamos um pouco pela rua Augusta, passamos pelo Elevador de Santa Justa, mas a fila estava muito grande e decidimos não subir. Seguimos para o Café A Brasileira e tiramos uma foto ao lado da estátua de Fernando Pessoa. A própria caminhada já é uma diversão, pois as ruas são lindas e há muito para ver.

De lá, seguimos até a Igreja de Santo Antônio. No caminho, paramos para almoçar no restaurante Novas Coisas Boas, onde fomos atendidas por Binod, do Nepal. A comida era muito boa, com poções enormes e muito baratas. Comemos Espaguete à Bolonhesa, Bacalhau à Brás e conhecemos o maravilhoso vinho verde, que foi nosso companheiro por quase todas as refeições em Portugal.

A Igreja é linda, e vale muito a pena visitar a cripta, que foi construída no local onde Santo Antônio nasceu. O próprio papa João Paulo II visitou o lugar quando esteve em Lisboa.

Bem próximo fica a Sé de Lisboa, uma construção magnífica e imperdível. Na volta, pegamos um bondinho para a Praça da Figueira. Andar de bondinho é uma experiência única e super portuguesa! Pagamos a viagem com o nosso cartão ilimitado de passagem, que compramos no aeroporto logo que chegamos em Lisboa.

À tarde, fomos até a estação Rossio e compramos passagens para ir a Sintra de trem. É bem simples e a viagem dura aproximadamente uma hora, porém o ideal é dedicar um dia inteiro para visitar Sintra. No nosso caso, não só tivemos tempo de passar lá uma tarde, mas mesmo assim foi incrível.

Chegando na estação de Sintra, compramos passes para o ônibus turístico que faz o Circuito da Pena. Custa 5 euros e é indispensável! Com ele você pode ir de ônibus entre os pontos turísticos da cidade, que é cheia de ladeiras íngremes, e voltar à estação quando terminar. Visitamos o Castelo dos Mouros, que foi o meu preferido, e o Palácio da Pena.

Na volta, pegamos o ônibus turístico novamente até a estação. [Curiosidade: dentro da estação há um banheiro, que custa 20 centavos para usar. O problema é que ele só aceita moedas de 20 centavos, então passamos o maior perrengue vasculhando as mochilas para achar moedas e não fazer xixi na roupa.]

Chegando a Lisboa, paramos no Starbucks da Estação Rossio e compramos o nosso jantar pra viagem.

Resumo do segundo dia:

Praça do Comércio

Arco da rua Augusta

Elevador de Santa Justa

Café A Brasileira

Igreja de Santo Antônio

Sé de Lisboa

Sintra

Palácio dos Mouros

Palácio da Pena

 



 

Dia 3:

Como queríamos visitar Fátima durante a nossa estadia em Lisboa, reservei ainda no Brasil o tour da Go2Lisbon para Fátima, Batalha, Nazaré e Óbidos. O tour é com grupos de até 8 pessoas e um guia que fala a sua língua e vem te buscar no seu hotel, ou seja: paraíso! Só tenho coisas boas a falar do serviço deles, que achei impecável e muito além das nossas expectativas. O grupo foi nos buscar no hotel às 08h45 e seguimos para Fátima. O carro era superconfortável e eram todos brasileiros, menos o guia. Fizemos alguns amigos nesse passeio, mais um motivo para eu indicar muito ele a vocês.

IMG_9664

Chegando a Fátima, fomos direto a um pequeno centro comercial fazer compras. Segundo Vlad, o nosso guia, no santuário é mais caro comprar souvenires e as lojas ficam um pouco afastadas do local propriamente dito. De lá, seguimos para o santuário, onde visitamos a Capela das Aparições, a basílica e a igreja nova, tudo na mesma praça. Sinceramente, eu não tinha muitas expectativas com a ida a Fátima, logo não foi a minha parte preferida do passeio.

Depois, entramos todos num acordo e decidimos ir conhecer as casas dos pastorzinhos, que não estava incluída no tour. Esse passeio eu achei bem mais legal! As casinhas estão super conservadas e dá pra ver bastante coisa sobre a história deles lá. Vale muito a visita!

Seguimos de carro para o Mosteiro da Batalha, um dos lugares mais bonitos que visitei em Portugal. A vista de fora do mosteiro é maravilhosa, muito imponente e impressionante. Dentro também é de tirar o fôlego, então prepare as câmeras! Visitamos apenas a igreja, mas já valeu muito a pena!

A nossa próxima parada foi no miradouro de Narazé, onde pudemos almoçar uma comida portuguesa com certeza, que por sinal estava deliciosa. Pedi Bitoque de Vaca, mas o pessoal do grupo pediu Bacalhau de Forno, e as poções, como sempre, são imensas! Dá pra dividir um prato pra duas pessoas tranquilamente! Depois do almoço, apreciamos a vista do miradouro para a praia, onde, dizem, há ondas enormes e é o paraíso dos surfistas. O lugar é lindo!

Depois de devidamente alimentados, seguimos para a nossa última parada: Óbidos. A vila medieval de Óbidos era o lugar para o qual eu estava mais ansiosa nesse tour, e minhas expectativas foram superadas! A vila, construída pelos mouros em tomada pelos portugueses no ano 1000 D.C., é perfeita, toda murada! Você se sente dentro de um filme medieval, com tudo aquilo ao seu redor. Andamos pelas ruas e provamos uma iguaria do lugar: o licor de ginja, servido em um copinho de chocolate! É uma delícia, dá vontade de tomar vários!

Voltamos para Lisboa e nos despedimos dos nossos novos amigos, que nos deixaram na porta do nosso hotel.

À noite, pegamos um táxi e fomos jantar na Tasca da Esquina, um dos restaurantes mais aclamados da cidade atualmente. Fui até lá entrevistar o chef Vitor Sobral (leia a matéria no link abaixo*) e depois da conversa, apreciamos o menu do chef, de seis pratos. Estava tudo maravilhoso! Recomendo demais o restaurante!

*Matéria da Tasca da Esquina

Resumo do dia:

Santuário de Fátima

Casas dos Pastorzinhos

Mosteiro da Batalha

Miradouro de Nazaré

Vila de Óbidos

Tasca da Esquina

 



 

Dia 4:

No nosso último dia em Lisboa, eu tinha uma meta: comprar um microfone. Pesquisei bastante na internet e encontrei um lugar especializado em equipamentos fotográficos, a loja Colorfoto. Não é muito fácil comprar esses equipamentos mais profissionais em Portugal, e fui em várias lojas durante a minha estadia por lá, mas a Colorfoto foi com certeza a mais completa. Então, acordamos cedo e pegamos um métro até a loja.

De lá, resolvemos voltar ao Centro Comercial Colombo para comprar uma mala na Primark, porque era mais barato. Passamos a manhã fazendo compras por lá (depois de entrar naquele lugar não há mais volta, rsrsrs) e voltamos ao hotel para guardar as novas aquisições.

Fomos novamente almoçar no restaurante Sardinheira (pra vocês verem como é boa a comida de lá!) e seguimos de ônibus até Belém. É bem fácil ir de ônibus pra lá, mas perdemos uns bons 25 minutos na parada.

A nossa primeira parada em Belém foi o Mosteiro dos Jerónimos que, nossa, é muito lindo! É difícil decidir qual parte é mais bonita, a de dentro ou a de fora. O lugar é gigantesco! Amei muito a visita.

De lá, andamos até a Torre de Belém (quase corremos, na verdade) e chegamos a tempo de ver o pôr do sol. Foi uma das caminhadas mais agradáveis da viagem, à margem do rio Tejo, vendo aquele lugar incrível. O pôr do sol é de tirar o fôlego, recomendo demais! Na volta, entramos numa lojinha de souvenires e conversamos um monte com o senhorzinho dono da loja. Os portugueses estão sempre prontos a conversar e dar muitas dicas, é maravilhoso.

IMG_0510

Nossa próxima parada foi a Fábrica de Pastéis de Belém. O lugar é bem lotado e é difícil pegar uma mesa lá dentro. Resta então a fila para comprar pra viagem, que apesar de grande, anda bem rápido. Pedimos a caixinha com seis pastéis de nata, que custou 6,50 euros. Recomendo comprar muitos, pois são sensacionais! Nunca nenhum pastel de nata que comi chegou aos pés daqueles! Sentamos no Starbucks ao lado, pedimos cafés para aplacar o frio e nos deliciamos com essas iguarias da culinária portuguesa.

Na volta, pegamos um bondinho para a Praça da Figueira e de lá, um métro até o nosso hotel. Ainda deu para comprar castanhas portuguesas no caminho, que são bem comuns em novembro por lá. Também são deliciosas, afinal, come-se muito bem em Portugal!

Resumo do dia:

Colorfoto

Centro Comercial Colombo

Mosteiro dos Jerónimos

Torre de Belém

Fábrica de Pastéis de Belém

 

Confira o roteiro dos outros dia da minha viagem por Coimbra e Porto aqui!

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Quer receber mais conteúdo legal gratuitamente no seu e-mail? Assine a nossa Newsletter!

Mussulo Resort: um paraíso na costa do Conde-PB

A costa do Conde-PB guarda um paraíso para os que desejam aproveitar a paz de estar à beira-mar: o Mussulo Resort by Mantra.  Localizado a 20 km da capital, João Pessoa, o resort é o primeiro all inclusive da região, tornando a experiência de seus hóspedes ainda mais relaxante.

Recentemente o Mussulo foi eleito um dos cinco melhores all inclusive do Brasil. A nomeação foi resultado da terceira edição do Prêmio Zarpo, que selecionou os vencedores de acordo com a vivência dos hóspedes.

O complexo concentra 101 magníficos bangalôs, pensados para tornar a estadia ainda mais confortável. Desde a decoração até as vistas paradisíacas, tudo conspira para fazer do Mussulo um lugar para jamais esquecer. O local também conta com duas piscinas, spa, playground, sala de jogos, quadra de tênis de saibro, quadra poliesportiva e de beach volleyball, além do apoio na Praia de Tabatinga.

mussulo_2

 

O município do Conde nos reserva gratas e belas surpresas, como bosques virgens, arrecifes, praias e piscinas naturais valorizadas pelos turistas do Brasil e de todo o mundo. As praias de Coqueirinho, Tambaba e Tabatinga são paradas obrigatórias para apreciar o espetáculo da natureza que se manifesta em falésias e vistas de tirar o fôlego até do mais treinado viajante.

mussulo_3



Salvar

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Quer receber mais conteúdo legal gratuitamente no seu e-mail? Assine a nossa Newsletter!

Bate-papo da esquina: cozinha portuguesa muito além do bacalhau

Érica Rodrigues

O chef Vitor Sobral coleciona esquinas em três continentes. Com restaurantes em Lisboa, Luanda, São Paulo e João Pessoa, o português vem mostrando, com sucesso, a sua forma de ver a cozinha lusitana. E não por acaso, foi na esquina onde tudo começou que nos encontramos. A Tasca de Lisboa, para quem conhece a filial de João Pessoa, parece estranhamente pequena, mas aconchegante. Sentamo-nos numa mesa e a conversa rolou solta.

A ideia de abrir a primeira Tasca da Esquina veio depois de muitos anos trabalhando em restaurantes sofisticados, quando o chef sentiu a necessidade de ter um lugar onde as pessoas se sentissem em casa. “Eu sou cozinheiro há 31 anos e sempre fizemos restaurantes sofisticados. Cerca de dez anos pra cá pensamos “não, chega!”, vamos fazer restaurantes em que as pessoas se sintam à vontade. E aí que surge esta casa, que foi a primeira de todas as outras e na verdade todos os conceitos que vieram na seguinte esquina, a ideia era que fossem restaurantes em que as pessoas se sentissem à vontade, que nada os intimidasse, nem a decoração, nem o serviço e nem a cozinha”, conta.

E depois chegar com sucesso ao mercado de São Paulo –  a Tasca de lá foi eleita o Melhor Português da cidade pelo jornal Folha de São Paulo e as revistas Veja e Prazeres da Mesa – foi a vez de tentar a sorte no Nordeste. A ideia inicial era ir para Recife, e depois de muita procura por um local, foi numa viagem a passeio para João Pessoa, a convite do sócio Pedro Graça, que o chef encantou-se pelo mar da cidade. “A dúvida era se faríamos em João Pessoa ou em Recife, e eu desempatei porque gostei muito da cidade de João Pessoa”, explica.

VSPERFIL Porém, abrir espaço no mercado paraibano não tem sido tarefa fácil. A equipe vem tentando se alinhar ao perfil do público na cidade, que busca algo diferente do que é apresentado em São Paulo, Lisboa ou Luanda. Uma das características da casa, em Lisboa, são os petiscos, que não foram bem aceitos pelo público da Paraíba. “Hoje as confecções de qualquer das Tascas não têm mais que cinco ou seis preparações, são pratos simples. Em João Pessoa, associa-se muito o nome do restaurante português a bacalhau, e em São Paulo ainda é pior. Mas petiscar, as pessoas não fazem. Temos muito mais camarão no restaurante de João Pessoa do que temos em qualquer outra das Tascas, mas porque o pessoal solicita bastante. Na verdade, aquilo que mais sai na Tasca de João Pessoa é bacalhau, peixe e cordeiro. E petiscar, nada”, conta, entre risos.

Com base nessas percepções, a equipe está lançando um novo cardápio, mais alinhado com o perfil do público local. “No novo cardápio nós vamos uma vez mais tentar ir ao encontro do gosto do paraibano. Como é lógico, as confecções vão ser com base na matriz da cozinha portuguesa, com base na cozinha que nós já fazemos. Vamos adaptar mais receitas com base nos produtos que mais saem na Tasca da Esquina”, aponta.

E com a promessa de novidades à vista, nos resta a curiosidade de provar os novos pratos da casa. Certamente serão deliciosos, como tudo o que o simpático chef de além-mar põe a mão.

Av. Pombal, 255 – Manaíra, João Pessoa, Paraíba, 58038-240 | Ter a sáb: 12h às 15h e 19h às 23h, dom: 12h3o às 16h

DSC_4872-4 DSC_4392-5

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Quer receber mais conteúdo legal gratuitamente no seu e-mail? Assine a nossa Newsletter!

Primeiro fim de semana do Fest Verão tem Jorge e Mateus e Gabriel Diniz

Neste domingo acontece o primeiro final de semana da 12a edição do Fest Verão Paraíba. Passam pelo palco da arena o DJ Alok, os cantores Gabriel Diniz e Durval Lelys e a dupla sertaneja Jorge & Mateus.

Além dos shows, o evento vai contar com ações de prevenção às DSTs, promovidas pela Secretaria de Saúde de Cabedelo (Sescab), nos dias 8, 15 e 22 de janeiro. A equipe vai orientar os participantes da festa sobre exames e métodos de prevenção, além de distribuir folders, preservativos, géis lubrificantes e realizar testes rápidos para detectar DSTs. Os testes são gratuitos, sigilosos e os resultados saem em apenas 15 minutos.

Os ingressos estão disponíveis no site Ingresso Rápido, nas bilheterias da Domus Hall, na loja Ellus do Mangabeira Shopping e loja Taco do Partage Shopping, em Campina Grande.

fest-verão

Para fazer em casa: receita de bolinhas de queijo

Quem não ama um petisco para acompanhar aquela cerveja do fim de semana? Como a gente pensa sempre no melhor pra vocês, trouxemos esta receita de bolinhas de queijo deliciosas super fácil de fazer em casa!

É muito amor em forma de queijo!

 

Confira três receitas simples para fazer com até R$10 clicando aqui!

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Quer receber mais conteúdo legal gratuitamente no seu e-mail? Assine a nossa Newsletter!

5 filmes para quem ama viajar!

Viajar é uma das coisas que mais amo fazer na vida! Conhecer novos lugares, pessoas, comidas e culturas é algo muito enriquecedor. Mas como não é sempre que podemos pegar a mala e partir, há sempre um jeitinho de matar a vontade de casa mesmo.
A minha maneira preferida de viajar sem sair de casa é vendo filmes sobre o tema. Selecionei cinco filmes para os apaixonados por viagem e contei tudo no vídeo:

*Por Érica Rodrigues

 

Confere os trailers:

Meia Noite em Paris: https://youtu.be/CgMMUoXui9M

Vicky Cristina Barcelona: https://youtu.be/2gzdYgtHw2w

Um dia: https://youtu.be/3C1dSEK27L0

Na Natureza Selvagem: https://youtu.be/D4SeyeHEC6I

Comer Rezar Amar: https://youtu.be/JqQXZEuYWyI

 

 



Salvar

The W Restaurante, na orla, alia ingredientes frescos e Comfort Food

Érica Rodrigues

 

A orla de Manaíra guarda uma grata surpresa aos amantes de boa comida. O The W Restaurante, inaugurado há um ano, nasceu do gosto em comum dos proprietários por comida de qualidade, bons vinhos e atendimento de primeira linha. Alinhado a isso, o restaurante oferece o Comfort Food, com pratos que valorizam os ingredientes frescos, a comida artesanal que prestigia acima de tudo os fornecedores locais.
“Na verdade, o Comfort Food como conceito nos pareceu a melhor forma de celebrar ao mesmo tempo a grandiosidade de nossos ingredientes com a pureza dos processos básicos e tradicionais da gastronomia. Ele agrega familiaridade do prato a quem o degusta, mantém vivo o legado de pratos ícones da cozinha internacional que muitas vezes remetem a memórias de sabores e sentimentos familiares que nos confortam”, explica o chef Vinnie de Souza.

the_w_fachada-2
E não é só a comida que conforta por lá, o ambiente agradável, pensado nos mínimos detalhes, desde as rolhas de vinho penduradas no teto à vista sensacional da orla de João Pessoa, nos faz sentir em casa.
O prato mais pedido é o The W Filet (R$ 62), carinhosamente apelidado de Filet W, para os íntimos. Feito no ponto desejado pelo cliente, é servido com cama de pesto paraibano e crispy de alho poró, acompanhado de talharim ao creme de queijo Gruyere.
O queridinho do momento, no entanto, é o Filet Spice (R$58), acompanhado com purê de Grana Padano, arroz dourado e molho apimentado hot meat.
Porém, indo de encontro às tendências, pedimos a indicação do chef para uma refeição completa. Salada W (R$23) de entrada, feita de rúculas, queijo Brie e seleta de tomates (italiano, cereja e sweet grape). O prato principal é o Camarão Amaro (R$59): coroa de camarões empanados em parmesão, torrada amanteigada e panko, com arroz a Piamontese de Shitake e Shimeji frescos. A sobremesa fica por conta do clássico pudim de leite (R$10).

the_w_camarão-2

E para os que buscam um bom programa nas tardes de quarta e quinta, a novidade é o recém-lançado happy hour. Com petiscos à vontade (R$49) e baldes de espumantes e cervejas com desconto, o programa certamente agrada aos que apreciam o combo boa comida, bebida de qualidade e uma vista estonteante da nova área externa do restaurante.

 

Av. João Maurício, 451 – Manaíra, João Pessoa – PB. Ter. a sex.: 12h às 23h. Sex. e sáb.: 12h à 0h. Dom.: 12h às 15h30.

the_w_salada-2

the_w-2