As Crônicas de Nárnia terá adaptação de filmes e séries para a Netflix

 

A Netflix anunciou nesta quarta-feira (03) que fará a adaptação da franquia As Crônicas de Nárnia para a plataforma de streaming. Esta é a primeira vez que todos os direitos autorais dos sete livros pertencem a uma mesma companhia. A saga, que é originalmente dos livros do autor C.L. Lewis, ganhou enorme destaque em 2005 quando foi lançado pela distribuidora da Sony o primeiro filme ‘ As Crônicas de Nárnia – O Leão, A Feiticeira e o Guarda-roupa’. Na sequência houve o lançamento de ‘ As Crônicas de Nárnia e o Príncipe Caspian e ‘ As Crônicas de Nárnia – A Viagem Do Peregrino da Alvorada’, cuja trilogia que faturou 1,5 bilhão de dólares em todo o mundo. Havia a possibilidade de uma continuação do longa em 2013, mas o projeto não se realizou.



A confirmação da compra ressaltou o interesse da Netflix de expandir cada vez mais os conteúdos originais do serviço. “As amadas histórias de C.S. Lewis, As Crônicas de Nárnia, têm ressoado com gerações de leitores ao redor do mundo. Famílias se apaixonaram por personagens como Aslan e todo o mundo de Nárnia e estamos animados para estar em suas casas nos próximos anos”, disse Ted Sarandos, chefe de conteúdo do serviço de streaming. Mark Gordon, Douglas Gresham e Vincent Sieber são os produtores executivos, e a Netflix será o estúdio de produção e divulgação da obra.

A estratégia da Netflix é criar um universo cinematográfico para os filmes de fantasia, entrando em concorrência com a Amazon, que este ano comprou os direitos autorais num acordo multimilionário para dar continuidade à obra do Senhor dos Anéis de J.J.R. Tolkien para a tv.

*Isabelle Vasconcelos/ estagiária sob supervisão

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Totonho lança terceiro álbum através de financiamento colaborativo

Carlos Antonio Bezerra da Silva, depois de 12 anos do disco Sabotador de Satélite (2015) e 2 anos do último trabalho, o EP Côco Ostentação, se prepara agora para lançar o novo álbum Samba Luzia Gorda através de campanha de financiamento coletivo no Catarse, os fãs terão até dia 4 de outubro para apoiar o projeto em troca de recompensas exlusivas. O disco conta com produção musical de Mauricio Tagliari e coprodução da YB Music, sem falar nas participações especialíssimas de Otto, Moreno Veloso, Quinteto da Paraíba, André Abujamra, Manoel e Felipe Cordeiro, Cassiano Ziryab Cassiano De Sa, Mbeji/Baile das Pombagira e o Maestro Jorge Ceruto. Para fechar o pacote, as artes de capa e encarte são de Shiko.

Navegando por elementos distintos da música, que vão do tradicional ao contemporâneo, Totonho e Os Cabra carrega em sua sonoridade um misto de ritmos nordestinos, urbanos e batidas eletrônicas, complementada com letras de conteúdo social.

Totonho é natural de Monteiro e funda seu arquétipo de composições a partir da rica cena de repentistas locais e ícones da poesia nordestina. Lá foi vendedor de buchada de bode e assistiu à muitas cantorias de repentistas da região. Foi quando teve seu primeiro contato com a música. “Minha casa vivia cheia de gente, então me acostumei a vê-los pela casa. Você sabia que Monteiro foi durante muito tempo considerada a Meca dos repentistas nordestinos?” Declara Totonho.



Em 82 resolveu que queria mesmo seguir a carreira de músico e foi para João Pessoa, onde fundou o Musiclube da Paraíba, uma cooperativa de compositores por onde passaram nomes como Chico César, Jarbas Mariz e os irmãos Pedro Osmar e Paulo Ró, entre outros. Já premiado e conhecido como um dos melhores compositores da região, em 1988 se muda para o Rio de Janeiro para iniciar formação em arte educação e lá coordenou e fundou diversas ONGs, entre elas, a EX-COLA e o Grupo Cultural Afro Reggae, entre outras.

Embora já tivesse quase duas décadas de carreira, uma turnê pelo projeto Pixinguinha e importantes shows com grandes nomes da MPB, seu primeiro registro fonográfico só saiu em 2001 pela gravadora Trama com produção de Carlos Eduardo Miranda e em 2005 lançou o segundo álbum “Sabotador de Satélites” com a mesma gravadora e produtor. Ainda possui em sua carreira duas Coletâneas internacionais da Nova Música Brasileira, selo Toten França, e o Coletivo Hip Hop do Mundo, Selo África Mundi/U.S., produzida pelo americano Malvin Gibson.

Em 2015, a partir de uma ação ativista de levar música para espaços públicos da grande João Pessoa de forma independente em parceria com o compositor Seu Pereira, lança um trabalho de “Funks Rurais” inspirado pela força da poesia regional, o EP “Coco Ostentação”.

Na sua jornada pelo mundo musical, Totonho coleciona concertos internacionais na Ucrânia, Londres, Bélgica, França, Guatemala, Portugal e Rússia. No Brasil já tocou em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Crato, Fortaleza, Salvador, Curitiba, Manaus, Belém, Boa Vista, Macapá, São Luís, Teresina, Natal, Brasília, João Pessoa, entre outras.

Acesse agora o site e contribua para o lançamento do novo disco dessa pérola da música paraibana, além de ganhar recompensas exclusivas, como ingresso para show de lançamento, box com discografia, camiseta, avental, pano de prato, entre outras.

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Tramonto terá show da Electrojazz e Pablo Okubi neste final de semana

Neste final de semana a programação musical do Tramonto Wine Bar terá o já consolidado projeto Música Boa ao Vinho, que busca trazer os mais renomados cantores da capital para o palco da casa. As apresentações musicais desta sexta-feira e sábado estarão com as atrações especiais de Electrojazz e Pablo Okubi, que contarão com vários gêneros como Jazz, Pop, e músicas internacionais enriquecendo o roteiro musical do ambiente.

Usualmente a casa tem shows de quinta a sábado, mas especialmente esta semana não haverá apresentação na quinta-feira (04).

Começando a programação desta sexta-feira (05), o Tramonto Wine Bar receberá a Electrojazz que trará a apresentação Especial Pop Jazz. A banda traz em seu repertorio músicas do Pop moderno com uma roupagem do jazz clássico e através desta junção de estilos consegue agradar vários públicos, em especial aos que frequentam o ambiente intimista. A Electrojazz é formada por Tereza Castellanos nos vocais, Eraldo Souza na guitarra, Gugui no baixo acústico, Nelys no piano e Jonathas na bateria.

E neste sábado (06), o estabelecimento irá contar com a presença do cantor Pablo Okubi que apresentará o show Do Country aos Blues. A performance é de voz e violão do vocalista, que transita entre esses dois estilos tocando covers dos principais artistas do gênero. Suas músicas condizem com o ambiente do restaurante e seu público.

Todas as apresentações têm início às 21h e o couvert artístico custa R$20. O Tramonto Wine Bar está localizado em Manaíra, na rua Franca Filho, 508.



Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

De Repente no Espaço recebe Gilmar de Oliveira e Severino Feitosa nesta quarta

Nesta quarta-feira (3), tem mais uma edição do projeto ‘De Repente no Espaço’, na Fundação Espaço Cultural, em João Pessoa. As atrações são os repentistas Gilmar de Oliveira (PB) e Severino Feitosa (PE). A noite dos poetas populares tem ainda como declamador oficial o poeta Iponax Vila Nova. As apresentações começam às 19h e ocorrem no mezanino do Teatro Paulo Pontes, no Espaço Cultural.

O objetivo da ação é dar visibilidade a essa linguagem artística e literária, valorizando os poetas populares do Nordeste. “De Repente no Espaço” é um evento mensal da Funesc que teve início no mês de junho e faz parte do projeto de ocupação do Espaço Cultural. Os encontros acontecem na primeira quarta-feira do mês. A cada nova edição, o público conta com diferentes atrações da Paraíba e de outros Estados da região.

Gilmar de Oliveira – Natural de São José de Piranhas, no Sertão da Paraíba, atualmente reside em Cajazeiras onde tem um programa diário na rádio Alto Piranhas. Com 13 anos de carreira já participou de mais de 200 festivais.

Severino Feitosa – Nascido em Santa Terezinha (PE), no dia 25 de março de 1948. Participou de mais de 300 festivais e gravou três LPs e três CDs. Tem quase cinco décadas de carreira. No dia 11 de dezembro comemorou os 40 anos de profissão com a gravação de um DVD, em Campina Grande. A gravação contou com a participação de vários artistas, poetas e amigos, como Ivanildo Vila Nova, Daudeth Bandeira, Raulino Silva, Iponax Vila Nova, João Lourenço, Amazan e Moacir Laurentino.

Repente – No Brasil, a tradição medieval ibérica dos trovadores deu origem aos cantadores – poetas populares que vão de região em região, com a viola nas costas, para cantar os seus versos. Eles apareceram nas formas da trova gaúcha, do calango (Minas Gerais), do cururu (São Paulo), do samba de roda (Rio de Janeiro) e do repente nordestino. Ao contrário dos outros, o repente se caracteriza pelo improviso – os cantadores fazem os versos “de repente”, em um desafio com outro cantador. Não importa a beleza da voz ou a afinação – o que vale é o ritmo e a agilidade mental que permita encurralar o oponente apenas com a força do discurso.

Iponax Vila Nova – Nascido na cidade de Cajazeiras no alto sertão paraibano, filho do pernambucano Ivanildo Vila Nova, o maior dos repentistas da atualidade, Iponax cresceu com a poesia. A poesia e a viola de Ivanildo estavam em todos os lugares da casa, e aos poucos foi despertando no menino o desejo de participar dessa disseminação da cultura popular.Fez da poesia a régua e compasso no seu projeto de vida. Ainda muito jovem, levou sua arte para os mais distantes grotões do país. Um verdadeiro ativista da cultura matuta, é um grande articulador da arte do repente, considerado um dos grandes nomes da poesia e da declamação dos nossos dias.

Sobre o projeto – O “De Repente no Espaço” é um evento mensal da Funesc lançado em julho de 2015 e faz parte das ações de ocupação do Espaço Cultural. Os encontros acontecem na primeira quarta-feira do mês. A cada nova edição, o público conta com diferentes atrações da Paraíba e de outros Estados da região. Em janeiro e julho de 2016 foram realizados o 1º e 2º “Desafio De Repente”, com várias duplas de repentistas da Paraíba e de outros Estados. O apresentador oficial e declamador é Iponax Vila Nova, coordenador do projeto que além conduzir as cantorias realiza oficina de declamação e versos pelo Estado, dentro do projeto.

 

Foto destaque: Thercles Silva



Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Oktoberfest no Espaço Mundo terá cervejas artesanais, shows e gastronomia alemã

Em homenagem à maior festa dedicada à cerveja do mundo, neste sábado, 06 de outubro, o Centro Cultural Espaço Mundo realiza a 2ª edição do Oktoberfest no Espaço Mundo, com shows de rock e ska, petiscos inspirados na gastronomia alemã (com opção vegana), promoções de cerveja e chopes artesanais paraibanos. O evento começa às 13h e se apresentarão as bandas Parahyba Ska Jazz Foundation e Retrohollics. O valor da entrada é de R$ 15 antecipado (sympla.com.br/espacomundo) e R$ 20 na hora, e inclui uma caneca personalizada do evento.

A Oktoberfest é um festival de cerveja criado em Munique (ALE) pelo rei bávaro Ludwig I para celebrar o seu casamento em 1810 e disseminada desde então por vários lugares do mundo.  No Brasil, o festival chegou com a cultura dos imigrantes alemães e começou a ser realizado em 1978 no Sul do país, sendo a festa mais tradicional a de Blumenau, em Santa Catarina. Na capital paraibana, os amantes da bebida podem se preparar para o segundo ano de Oktoberfest no Espaço Mundo, onde poderão curtir além de muita cerveja e chope artesanal, shows de rock e SKA, além de um cardápio especial para a ocasião.

Os amantes de cerveja e do tradicional festival alemão poderão literalmente sentir um pouco do gostinho da cultura germânica através da gastronomia, que estará presente nos petiscos inspirados na culinária do país. Iguarias como as famosas salsichas, chucrute e pretzels estarão presentes no cardápio, e também as opções vegetarianas para o público que não consome carne animal, como já é prática da casa em outros eventos.

Criada em 2014, a Parahyba Ska Jazz Foundation surge através da busca de seus membros em fazerem algo diferente no cenário musical paraibano, bebendo da fonte Jamaicana do SKA e da essência do JAZZ. Com um naipe de metais cheio de frases fortes e uma cozinha consistente e marcante, o grupo instrumental se destaca também pelos improvisos que permeiam as músicas.



teste1
Parahyba Ska Jazz Foundation por Thercles Silva

O grupo é formado por Francisco Vasconcelos na Bateria, Everton Cavalcante no Contrabaixo, Alysson Jorge na Guitarra, Lucas Dan no Teclado, Alysson Ramalho no Trompete, Gilbert de Castro no Sax Tenor e Álesson Rayf no Trombone. Em seu repertório estão músicas autorais e grandes clássicos, sempre realizando uma mistura dos ritmos jamaicanos e nordestinos com a pegada “ska-jazz”, o que resulta um som cheio de energia e vibração dançante que contagia o público durante seus shows.

Formada por músicos viciados no bom e velho Rock and Roll, que se reúnem para celebrar e homenagear as maiores bandas de todos os tempos, o repertório da banda Retrohollics é recheado de clássicos de todas as épocas, e com a novidade agora de seu trabalho autoral. Conhecida por tocar na noite da capital paraibana e ser figurinha carimbada nos eventos de “Moto Fest” por todo Brasil, a RetroHollics Classic Rock foi criada em 2007 e é formada por Degner Queiroz (baixo), Bruno Trindade (voz), Eugênio Pacelli (guitarra), Erasmo Júnior (bateria) e Markel Trindade (guitarra).



RETROHOLICS
Retrohollics por Nohara Gadelha

 

Foto destaque: Pixabay/jackmac34

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Séries documentais da Netflix para se sentir inteligente

A plataforma de streaming tem cada vez mais expandido seu catálogo e investindo em conteúdos documentais que mostram diferentes histórias reais impressionantes. Além dos documentários de longa-metragem que abarcam vários gêneros, as séries documentais originais da Netflix trazem em suas narrativas vários temas sociais e históricos. Essa lista se configura para quem busca entender através do audiovisual a realidade e os diferentes contextos que as pessoas estão inseridas, e também para aquelas que não sabem o que assistir e procuram encontrar algo que realmente as instiguem.



 

Wild Wild Country:  é uma série documental da Netflix que possui seis episódios de aproximadamente uma hora. A história é sobre uma seita espiritual indiana dos anos 70 liderada pelo guru chamado Bhagwan Shree Rajneesh e sua então assistente Ma Anand Sheela, que buscam ampliar seus seguidores que estão à procura da paz interior e dos ensinamentos do famoso guru. Eles saem numa jornada aos EUA, onde compram um terreno no estado de Oregon, partindo do princípio de formar uma sociedade alternativa regida pelos ideais liberais do mestre espiritual, que acaba atraindo jovens ocidentais interessados pela meditação e técnicas de transformação pessoal. Com o decorrer da narrativa percebe-se que nem tudo sai como planejado e acaba se tornando uma história clássica do bem e mal religioso.

 

 

Gênio Diabólico: Essa é uma série que contém quatro episódios e conta a história do assassinato do entregador de pizza Brian Wells, que estava assaltando um banco com uma bomba em seu pescoço. A narrativa segue mostrando todo o processo de investigação das mortes que sucedem após o incidente e quais são os suspeitos por traz desta cama de gato que envolve pessoas manipuladoras e extremamente bem articuladas. A história tem como foco mostrar a mente das pessoas que estavam envolvidas neste caso e como foi planejado minuciosamente para que cada detalhe fosse bem executado no plano. A trama nos mostra o passado e contexto de vida das vítimas e dos principais articuladores, Marjorie Diehl-Armstrong uma gênia com bipolaridade e narcisista e do seu amigo Rothstein.



 

The Keepers: A história se passa num colégio católico feminino nos anos 70 em Baltimore (EUA) ‘Archbishop Keough High School’ e o assassinato da freira Cathy Cesnik, pouco tempo após ela descobrir os casos de assédio sexual advindos principalmente do padre Joseph Maskell. A trama tem como ponto principal mostrar a investigação de duas ex-alunas que procuram por respostas ao caso, desenvolvendo assim um longo processo averiguação de artigos, vídeos, fotos e entrevistas das vítimas, conteúdo dos jornais da época e a montagem da linha do tempo com os principais suspeitos. A serie documental mostra os efeitos causados nas estudantes que sofreram os repetidos assédios de membros da igreja e como atualmente lidam com essa questão, as dúvidas sobre os dogmas católicos, a negligência da justiça e da igreja sobre os casos e as vítimas.

 

A Guerra do Vietnã: Essa série documental é a mais longa da lista, contem dez episódios de mais de uma hora de duração cada. Nela é contado o evento mais contrastante e polêmico dos EUA. A Guerra do Vietnã configura-se como uma das mais complexas de todos os tempos e uma das mais longas, com duração de 20 anos. O documentário mostra desde a colonização francesa do país até o conflito que mudou o mundo em todos os aspectos. A série explora as dimensões humanas sobre a guerra, numa narrativa imersiva e repleta de material com fotos remasterizadas, áudio da Casa Branca com o presidente Kennedy até o escândalo Watergate de Nixon. Ken Burns e Lynn Novick, diretores da série, mostram as diversas perspectivas dos soldados, da população e da alta patente nesta situação que mudou para sempre os países envolvidos.

 

Foto destaque: divulgação

*Isabelle Vasconcelos/ estagiária sob supervisão

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Estação Cabo Branco abre mês de outubro com programação dedicada às crianças

Música, teatro, dança, exposições, planetário, robótica, contação de história, quadrinização, pintura de rosto e outras atividades serão ofertadas gratuitamente para a população neste mês de outubro na Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, no Altiplano. O horário de visitação e funcionamento é de terça a sexta-feira de 9h até 18h. Sábado, domingo e feriado de 10h até 19h, com entrada aberta ao público de todas as idades.

Uma das atrações deste mês das crianças é o Espaço Crescer funcionará quarta, quinta e sexta-feira (10, 11 e 12 de outubro) no horário de 10h até 17h, na sala de práticas educacionais, localizada ao lado do estacionamento.



A chefe do setor de Gestão Educacional, Débora Carvalho, comentou que será uma semana inteira de diversão gratuita para a criançada. “Tudo preparado com carinho e atenção para atender também aos pais e familiares que quiserem passar uma tarde agradável na Estação Cabo Branco”, comentou Débora Carvalho.

DIA-DAS-CRIANÇAS-2.2
Foto: divulgação

Dia da Criança No dia 12 de outubro (sexta-feira), no jardim da Estação Cabo Branco, estarão circulando os “cosplays”, que são admiradores de HQ´s e revistas em quadrinhos vestidos com seus personagens favoritos, a exemplo do homem aranha, mulher maravilha, branca de neve, Emília e outros. Neste dia, os arte-educadores da Estação Cabo Branco, Denise Paz, Denise Souto, Michel Soares e Tom Alves estarão recebendo os visitantes para um piquenique no jardim. No local, terá ainda algodão doce, pipoca, parque inflável e um vídeo game x-box para a criança se divertir gratuitamente.

 

No mesmo dia, sexta-feira (12), às 17h, no anfiteatro da casa, haverá ainda uma apresentação musical do grupo “Mônica e seus amiguinhos”, com artistas caracterizados com os personagens de Maurício de Souza animando pais, mães, avós, avôs, tios, tias e quem mais aparecer na Estação Cabo Branco.

*Adriana Crisanto/ Secom-JP

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Cristina Carvalho expõe ‘Escombros existenciais’ na Galeria Archidy Picado

Está aberta a exposição ‘Escombros existenciais’, da artista visual Cristina Carvalho, a partir das 19h, na Galeria de Arte Archidy Picado. A mostra ocorre na Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), em João Pessoa, e fica aberta à visitação até o dia 28 de outubro.

É uma exposição que se configura como site-specific da planta baixa de uma casa, demarcada por fita adesiva de piso, no chão da galeria, que é dividida em quatro cômodos: sala, cozinha, quarto e banheiro. Em cada ambiente ficam dispostos conjunto de obras que dialogaram com os cômodos.

intistino-2.2

O conceito de casa faz analogia ao estado íntimo do ser humano, do corpo como abrigo de subjetividades, de sentimentos, da sua condição efêmera e transitória. “Desde do ano 2011, venho desenvolvendo a seleção de objetos de memória afetiva, assim como o estudo de obras literárias que possam contribuir na contextualização da exposição”, disse Cristina.

Conforme a curadoria da exposição, Cristina Carvalho desvela sua visão de mundo e avalia o lugar do indivíduo na sociedade de consumo. “Desses escombros a artista extrai matéria prima para criação de seus trabalhos, como se viver fosse uma obra em processo ou uma casa ou uma vida em eterna reforma e frequentes mudanças”, disse Fábio Queiroz, da curadoria.



A artista

Cristina Carvalho é uma artista visual e arquiteta nascida em João Pessoa, em 1978. Vem expondo nos últimos 13 anos, em coletivas e também individuais. Estreou no VII Salão dos Novos Artistas Plásticos, na capital paraibana, em 2005. Um ano depois, realizou uma mostra individual: ‘Tecelã’, na Galeria de Arte Casarão 34.

Em 2015, realizou a exposição individual ‘Calcar’, no Ateliê Multicultural Elieonai Gomes, na Ladeira da Borborema, no Centro Histórico de João Pessoa. É no mesmo local que ela está participando de uma mostra coletiva, no Festival Aiê. Em 2013, a artista publicou o livro ‘Verso reverso’, patrocinado pelo Fundo Municipal de Cultura – FMC.

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Fotos: divulgação

Projeto cinema francófono promove exibição e lançamento de livro na UFPB

Em sua sétima sessão, o projeto de extensão “Cinema francófono: estética, poder e relações interculturais” apresenta o filme “Léon Morin – O Padre” [Léon Morin, prêtre/ França, 1961] dirigido por Jean-Pierre Melville. A exibição acontece no dia 04 de outubro (quinta-feira) às 16h, no Cine Aruanda (CCTA/UFPB). A sessão será seguida de debate com Caroline Oliveira (realizadora e produtora de cinema e artes visuais, PB) e Francis Vogner dos Reis (crítico de cinema, curador e roteirista, SP), com mediação do crítico, filósofo e tradutor pernambucano Luiz Soares Júnior.

Tendo iniciado no primeiro semestre do ano, o projeto vem se conduzindo em duas frentes inter-relacionadas. De um lado as exibições do ciclo de filmes e debates como dispositivo gerador de questionamentos e problematizações; de outro o ciclo de leitura, que acresce discussões teóricas à experiência estética, possibilitando assim caminhos de compreensão da contemporaneidade com base na interface entre estética, poder e interculturalidade. Desde o início o projeto conta com a contribuição de especialistas de diversos campos, entre cineastas, professores, pesquisadores e críticos de cinema.



Lançamento de livro –  Logo após o debate às 19:30 será lançado o livro “De forças e de fantasmas: o demoníaco no cinema clássico”, de Luiz Soares Júnior (Ed. Cajuína, 2018), apresentado por Francis Vogner dos Reis.

Inscrição: ainda seguem abertas as inscrições das duas atividades do projeto tanto para membros internos quanto externos à UFPB e podem ser feitas pelo endereço(https://sigaa.ufpb.br/sigaa/public/extensao/paginaListaPeriodosInscricoesAtividadesPublico.jsf).

Filme: “Léon Morin – O Padre” [Léon Morin, prêtre] Jean-Pierre Melville, França, 1961, 130′, pb, 35mm

Sinopse: Adaptado da obra de Béatrix Beck, o diálogo entre um homem de fé e uma mulher convencida pelo compromisso político, ambos incomodados com seus sentimentos. Como um intenso face a face entre Céu e Terra, Melville oferece um Belmondo magnífico, em um dos papéis mais surpreendentes de sua carreira.

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Foto destaque: divulgação