Saiba onde
se hospedar

Viagem: saiba como funciona um hotel cápsula no Japão

O Japão é conhecido pelos espaços pequenos em grandes cidades lotadas de pessoas. Em muitos restaurantes, não há mais que uma ou duas mesas. Isso acontece por causa do inchaço dos grandes centros urbanos japoneses. O país tem um território pequeno dividido em várias ilhas, que precisa caber a população, a agropecuária, a extração de minérios… O hotel cápsula segue essa ideia. Para atender um público menos exigente e que só quer um lugar pra dormir uma ou duas noites, é o ideal.

Os dormitórios medem geralmente 2 metros de profundidade por 1 metro de largura e 1,25 metros de altura. Ou seja, nem dá pra ficar em pé lá dentro. São cabines feitas de plástico ou fibra de vidro, empilhadas umas sobre as outras de duas em duas, como beliches. Dentro, costuma ter uma TV e wi-fi. Os banheiros são compartilhados, mas separados para homens e mulheres. A privacidade dos “quartos” é mantida apenas por uma cortina, o que é uma boa notícia para os claustrofóbicos.

Rômulo e Mirella, do canal Travel and Share, viajaram para o Japão e não perderam a oportunidade de se hospedar em um hotel cápsula. Eles contaram tudo sobre como foi essa experiência:



Esse serviço é bastante usado pelos japoneses que beberam demais e não querem voltar pra casa nesse estado, ou que preferem dormir mais próximo do trabalho quando saem tarde demais. Mas também atrai muitos turistas curiosos pra saber como é dormir num desses. Esse tipo de hotel só é comum no Japão, embora exista alguns na China também.

Uma boa dica ao viajar para o Japão é levar pouca coisa na mala. Lá tem muitas coisas diferentes que com certeza você vai querer comprar, tanto roupas, quanto presentes. Assim vai ser mais fácil para se locomover no país, mudando de hotéis com as bagagens. Separar as compras todas numa mala só também é uma boa. Ao chegar num hotel cápsula, é só deixar aquela mala guardada, enquanto os itens mais usados estarão à mão.

 

Leia mais Descubra o que tem no melhor quarto do hotel mais caro do mundo

 

Por Larissa Rodrigues: desenhista do @be.my.type, internacionalista e mestranda de Relações Internacionais da UEPB. Adora falar de política, espiritualidade e coisinhas que amenizam nossa experiência de vida: filmes, moda, viagens e comida!!!



Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

%d blogueiros gostam disto: