Trem da Serra do Mar Paranaense inova com varanda panorâmica

Trem da Serra do Mar

Quem embarcar no último vagão do trem turístico de passageiros da Serra do Mar Paranaense, terá como diferencial o aumento da sensação de integração com a natureza na descida da serra de Curitiba até a histórica cidade de Morretes (PR).  A varanda panorâmica do novo vagão fica nos fundos do trem com ampla vista do cenário natural da Mata Atlântica. O turista também pode optar por viajar sentado, apreciando a natureza de amplas janelas instaladas. O carro de luxo comporta 32 passageiros.

O trem chega a transportar 200 mil turistas por ano e conta com até 20 vagões por viagem, sendo seis de luxo com serviço de primeira classe: o vagão panorâmico; um vagão camarote; e o vagão imperial. Todos os espaços temáticos oferecem serviços diferenciados aos turistas. O carro original do vagão panorâmico é de 1954 e foi adquirido no Espírito Santo. O projeto retrofit foi inteiramente desenvolvido com materiais sustentáveis e madeira certificada.

“É preciso garantir a satisfação dos visitantes com serviços turísticos de qualidade e competitivos. A viagem de trem entre Curitiba e Morretes já é uma referência do turismo ferroviário brasileiro e continua inovando em mais de 20 anos de operações para atrair mais turistas ao Paraná”, disse o secretário nacional de Qualificação e Competitividade do Ministério do Turismo, Aluizer Malab. Ele ressaltou que as empresas devem seguir esse exemplo do turismo paranaense e investir em inovação e melhorias periodicamente, inclusive treinando os colaboradores para atender às novas demandas do turismo doméstico e internacional.



O carro foi batizado de Barão do Serro Azul em homenagem a um importante personagem da história política e econômica do Paraná, Ildefonso Pereira Correia, considerado o maior produtor de erva-mate do mundo. O poderoso Barão, que foi tema de livros e filme, foi assassinado no km 64 da ferrovia Paranaguá-Curitiba durante a Revolução Federalista.

O PASSEIO –  O trem turístico funciona há 22 anos na estrada de ferro que tem 134 anos e é localizada na maior área contínua de mata atlântica, declarada pela UNESCO como Reserva da Biosfera. Túneis, pontes, picos e montanhas enchem os olhos dos turistas ao longo de todo trajeto. Entre os destaques estão o Parque Estadual Marumbi, Cascata Véu da Noiva e a Ponte São João que, desde 1885, “tira” o fôlego dos viajantes que passam pelo seu vão livre de 110 metros de altura e que, agora, também pode ser apreciado diretamente da varanda do novo vagão. O passeio pela cidade histórica de Morretes inclui um almoço típico, onde o prato principal é o tradicional barreado. O retorno pode ser de trem com direito ao Pôr do Sol subindo a serra ou pela Estrada da Graciosa. O caminho colonial segue uma trilha da época dos tropeiros. O roteiro histórico é florido e sinuoso com seis mirantes e áreas de refúgio.

 

*Geraldo Gurgel/Ministério do Turismo

Foto destaque: Divulgação

 

Leia também: Viagem: Praias para surfar e perfeitas viajar pelo Brasil

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

 

Deixe seu comentário!
%d blogueiros gostam disto: