São João 2017: gestores de Campina Grande e Caruaru se reúnem para fechar parceria

Na manhã desta quinta-feira, 26, o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, recebeu a nova prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, para discutir possíveis parcerias que podem ser estabelecidas em prol dos dois maiores eventos juninos da cultura nordestina. Campina Grande e Caruaru são conhecidas por realizarem as maiores festas de São João do país e sempre houve grande rivalidade entre os dois municípios, tendo seguidores e admiradores do mundo inteiro em ambos os eventos.

Raquel Lyra, prefeita de Caruaru, explicou que solicitou esse encontro para discutir estratégias para exaltar ainda mais a cultura nordestina através das festas juninas de Campina Grande e Caruaru. A ideia é buscar atrações importantes para o São João, realizar contratações conjuntas e o que mais for viável para uma boa parceria, com redução de custos para os dois municípios.

“A gente veio fazer um acordo de paz! Poder fazer um jogo de ‘ganha-ganha’, trabalhar a nossa identidade cultural, fortalecer os laços, reduzir custos, trabalhando juntos em ações estratégicas para a maior festa que tem a identidade cultural do nordestino, em Caruaru e em Campina Grande. Eu quero vir aqui na festa de São João e quero convidar o prefeito e toda sua equipe pra estar lá com a gente. Quando o meu pai foi prefeito de Caruaru e Cássio de Campina, foi feito o ‘Abraço do Forró’ e espero que nós possamos reeditar essa parceria já agora em 2017”, ressaltou a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra.

O prefeito Romero Rodrigues falou ainda sobre os novos planos que estão sendo estudados para o São João de Campina Grande, destacando que, apesar de se basear em uma Parceria Público-Privada, o que prevê que a gestão do evento seja feita por uma empresa organizadora privada, “O Maior São João do Mundo” continuará sendo para o povo e com entrada gratuita.

WhatsApp-Image-2017-01-26-at-16.18.01

“É importante deixar claro que nós não vamos privatizar. A festa é pública e todos vão continuar tendo acesso gratuito. A cultura regional será mantida, com nomes dos artistas que deverão ser contratados já no edital, incluindo também a parte religiosa do evento. É um modelo bem avançado para os padrões de hoje, pois se baseia em uma Parceria Público-Privada, e nós estamos estudando desde o final do ano passado. Nessa proposta, a Prefeitura seria a promotora da festa, mas a gestão do evento seria feita por uma organizadora. O objetivo principal é economizar substancialmente. Mas claro, que tudo irá se submeter ainda a um processo licitatório e não sabemos se será aplicado ainda ao São João deste ano”, explicou Romero.

Salvar

Salvar

Salvar