Série: não recomendamos assistir Investigação Criminal à noite!

Investigação Criminal

Principalmente para pessoas mais sensíveis, essa pode ser uma péssima ideia. A série da produtora de cinema Medialand, adquirida pela Netflix mostra o desenrolar da investigação de grandes casos de crimes que chocaram o Brasil. Com direção de Carla Albuquerque e Beto Ribeiro, Investigação Criminal tem uma cara de documentário da TV americana. É basicamente um fundo preto com o depoimento de profissionais que trabalharam diretamente nos casos e de parentes das vítimas. Intercalando as imagens dos personagens, fotos da cena do crime e das simulações são mostradas. Claro, nenhuma imagem muito reveladora aparece sem estar borrada.

A série foi lançada em 2011, mas já conta com 5 temporadas. Na Netflix, apenas a primeira temporada está disponível. São 8 episódios sobre os casos Isabela Nardoni, Suzane Von Richthofen, Mércia Nakashima, Glauco Villas Boas, Farah Jorge Farah, o crime da Oscar Freire, Ives Ota e o Maníaco do Parque.

Na época em que ocorreram, esses crimes tiveram grande visibilidade, com o acompanhamento atento da mídia e da população chocada. Por isso mesmo, é bem verdade que alguns dos casos não vão trazer grandes novidades para que assiste. Mas para quem não viu as reportagens da época, é uma boa forma de entender o que aconteceu nesses fatos que marcaram a história do Brasil. Como o caso do Maníaco do Parque, ou de Chico Estrela, apelido de Francisco de Assis Pereira, que aconteceu há 20 anos atrás, em 1998.



investigação-criminal

Além de delegados e peritos, a série documental mostra também a análise de psiquiatras sobre as mentes desses assassinos tão brutais. Fica claro que pessoas tão inescrupulosas como o médico Farah Jorge Farah podem estar convivendo conosco, frequentando a mesma padaria de manhã. Sejam adolescentes inconsequentes, psicopatas ou pessoas surtadas, eles estão por aí. Chico Estrela, por exemplo, seduzia mulheres e as matava para praticar necrofilia. Tinha bom papo, era bem articulado e simpático ao abordá-las. Mizael Bispo, assassino de Mércia Nakashima é advogado, de classe média. Eles eram um casal como outro qualquer, que se separou, mas Mizael não aceitou o término do relacionamento.

O fato de poder acontecer com qualquer um de nós só assusta mais ainda. Mesmo porque os crimes foram praticados por meios cruéis, contra vítimas indefesas, como a menina Isabella Nardoni de apenas 5 anos, ou o casal Richthofen, que dormia. Por isso, não veja antes de dormir, pois suas noites serão angustiantes.

 

Leia mais Filmes LGBT pra quem não vai pra Parada em São Paulo



Por Larissa Rodrigues: desenhista do @be.my.type, internacionalista e mestranda de Relações Internacionais da UEPB. Adora falar de política, espiritualidade e coisinhas que amenizam nossa experiência de vida: filmes, moda, viagens e comida!!!

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Deixe seu comentário!