Dyógenes Chaves abre temporada 2019 na Galeria Archidy Picado

Galeria Archidy Picado

Uma explícita homenagem aos artistas Andy Warhol e Robert Rauschenberg em que apresenta obras que eles poderiam ter realizado à época dos anos 60/70, salvo algumas diferenças político-sociais entre as Pop Art americana e brasileira. É assim que o artista visual Dyógenes Chaves define a exposição “Ora Pro Nobis”, que poderá ser vista pelo público a partir desta quinta-feira (28), na Galeria Archidy Picado do Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa. A abertura será às 19h e o período de visitação se estende até 3 de maio.

“Para a produção das obras, me utilizei do processo serigráfico [silk-screen], antes muito usado por esses artistas pop norte-americanos e/ou pela indústria publicitária para divulgar a imagem de um produto, em um cartaz ou embalagem. Aqui, a serigrafia ganha status de arte quando reproduzo, ampliado e em série, o rosto de Nossa Senhora, mito que virou ‘santinho’ e adesivo de plástico para automóveis, amplamente distribuído entre católicos brasileiros. Aliás, sempre me apropriei da serigrafia como ferramenta de trabalho. Da impressão de gravuras para outros artistas, nos anos 1980, desenvolvi um método pessoal de estampar minhas pinturas como obra única, ao contrário da produção em série tão comum nas gravuras”, diz Dyógenes Chaves.

 

dyogenes-por-rodolfo-athayde-1
Foto: Divulgação

Ao optar pela serigrafia, um meio quase totalmente artesanal, o artista atenta para a importância do uso das mãos na construção dos objetos e produtos, algo cada vez mais raro no mundo contemporâneo, repleto de máquinas comandadas por outras máquinas. Hoje, tudo parece ser produzido em série, em escala industrial, para atender milhões de consumidores.

Nesta mostra, Ora Pro Nobis, há clara intenção de juntar sagrado e profano, ao mesmo tempo de propor um rosário de signos e significados. Por isso, a escolha da imagem da Virgem Maria, por ser um ícone internacional.

Tal como no movimento pop art, Dyógenes se apropria de imagens trazendo-as para o discurso artístico. As imagens do consumo e do marketing passam a ser, ironicamente, a musa inspiradora da arte. Os ícones sagrados tornam-se o papel de embrulho do cotidiano. Algo como a banalização do sagrado ou o contrário: a sacralização do banal.



Serviço

Exposição “ORA PRO NOBIS” –  artista: Dyógenes Chaves

Abertura: 28/03, 19h

Visitação: até 03/05/2019

Local: Galeria de Arte Archidy Picado (funcionamento de segunda a sexta: 8h às 16h30; sábados, domingos e feriados: 9h às 17h)

 

*Secom-JP

Foto destaque: Divulgação

 

Leia mais: Prima promove “Sarau Selváticas” nesta quinta no Casarão dos Azulejos

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Deixe seu comentário!
%d blogueiros gostam disto: