The Brownie Factory celebra primeiro ano com distribuição de brownies

Para comemorar o primeiro ano de funcionamento, a The Brownie Factory, em Manaíra, vai distribuir brownies gratuitamente na próxima sexta (22), das 17h às 20h. A casa já está com o estoque reforçado para receber os clientes.

A casa que faz aniversário na capital paraibana traz quase 30 sabores de brownies produzidos artesanalmente. Além disso, outras sobremesas, salgados, chás, cafés fazem parte do menu da casa. A fábrica ainda conta com espaço kids para a criançada, além de conforto para reuniões de trabalho.

 



Vejam nas fotos o quão fofo é a The Brownie Factory 

Joao-Pessoa-8
Foto: Divulgação

 

Joao-Pessoa-7
Foto: Divulgação

 

Joao-Pessoa-6
Foto: Divulgação

 

Joao-Pessoa-4
Foto: Divulgação

 

Joao-Pessoa-3
Foto: Divulgação

Serviço:

Aniversário da The Brownie Factory

Endereço: Av. Euzely Fabrício de Souza, 219 – Manaíra, João Pessoa –

Data: 22.03 (sexta-feira)     

 

*Nathália Wanderley assessoria

Foto destaque: Divulgação

 

Leia mais: Descubra onde comer em João Pessoa por até R$ 20,00

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Exposições da Estação Cabo Branco oferecem recursos táteis para pessoas com deficiência

Quem for prestigiar as exposições da Estação Cabo Branco, Ciência, Cultura e Artes, no Altiplano, agora vai encontrar recursos táteis para pessoas com deficiência. A intenção, segundo a diretora Marianne Góes, é valorizar a inclusão ao traduzir linguagens visuais por meio do método de escrita e leitura em relevo para deficientes visuais, conhecido por Braille.

Duas exposições que estão cartaz, “Retalhos Parahybanos” de José Herrera e “Naifeminino”, já estão com as transcrições ao lado de cada obra de arte, tela ou imagem fotográfica. A tradução para o método Braille foi realizada por meio de computador e em impressora Braille, por intermédio da coordenadora pedagógica da Estação Cabo Branco, Rosane Ribeiro de Lira.

Rosane Ribeiro disse ainda que a transcrição também pode ser realizada por meio “reglete e punção”, ou seja, uma régua e um lápis especial que são usados pelos deficientes visuais ou pessoas que conheçam a escrita em Braille.

A ação faz parte do projeto de inclusão social do qual a Estação Cabo Branco desenvolve desde a sua criação. Atividades neste sentido já foram realizadas na casa, a exemplo do Projeto Cine Áudio Descrição e até o final do ano 2019 estão programadas práticas inclusivas, tanto para os cegos quanto para pessoas com outras deficiências.



O que é o método Braille? – Foi desenvolvido pelo Louis Braille, que quando criança ao brincar com uma ferramenta do pai foi atingido no olho esquerdo passando, logo em seguida, a ficar totalmente cego. Inicialmente ele desenvolveu uma célula braille com seis pontos, em que cada ponto representa uma letra, podendo ter até 63 combinações. Logo após, o capitão reformado do exército francês, Charles Barbier, criou um sistema de comunicação chamado de escrita noturna também conhecido por “Serre” e que mais tarde veio a ser chamado de sonografia.

 

*Adriana Crisanto/Secom-JP

Foto destaque: Divulgação

 

Leia também: Espanhol José Herrera expõe fotografias de prédios de João Pessoa

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

 

Estação Cabo Branco abre inscrição para novas turmas de cursos básicos de violão

A Estação Cabo Branco – Ciências, Cultura e Artes está com inscrições abertas para novos cursos de violão básico I e básico II. As inscrições são gratuitas e presenciais, sendo realizadas na recepção do prédio administrativo. Para se inscrever, o interessado deve doar um livro literário para o projeto Troca de Livro e Conhecimento. No total serão 45 vagas, sendo 15 para cada turma.

O curso será ministrado pelo professor e músico da Estação Cabo Branco, Michel Soares. Para o curso básico I, terá uma turma no turno da manhã (10h às 12h) e outra no turno da tarde (13h às 15h), com aulas previstas para começar em 28 e 29 de março, respectivamente. A turma do básico II terá aulas apenas à tarde (15h às 17h), com início previsto para o dia 29 de março. As aulas dos cursos acontecem em dois dias da semana, quintas e sextas-feiras.

“Todas as turmas terão 12 semanas de aulas, o que resultará em 30h de carga horária total de curso, contando com prováveis encontros extras para o desenvolvimento dos trabalhos feitos nas aulas. Lembrando que só poderá fazer o básico II as pessoas que fizeram o básico I na Estação e já foram acompanhadas por mim”, explicou Michel Soares.

A faixa etária para participar dos cursos é de 15 anos. O professor pede que os participantes tragam, caso tenham, o próprio instrumento. As atividades prosseguem até o mês de junho.

 

Sobre o professor – Natural de João Pessoa, Michel Soares ganhou seu primeiro violão aos 12 anos e, aos 15, iniciou seus estudos na Escola de Música Anthenor Navarro, onde fez curso de teoria musical e violão. Participou de alguns eventos importantes de música como o Seminário José Carrion em Recife (PE); encontros violonísticos em João Pessoa, Natal e Recife; VI Encontro da Associação Brasileira de Etnomusicologia, XXI Encontro Nacional da Associação Brasileira de Educação Musical em Natal-RN, XIII Encontro Regional Nordeste da ABEM em Teresina-PI, XVI/XVII Encontro de Iniciação à Docência pela UFPB e XXII Encontro Nacional da ABEM em Manaus-AM.

Atuou como arte-educador de projetos sociais, pedagógicos e culturais nas escolas de João Pessoa, é integrante da Orquestra de Violões da Paraíba e gravou com a mesma o CD e DVD ‘Interpretando a Paraíba’ (2009). Foi também voluntário do Programa de Licenciatura da UFPB de 2014 a 2016.

Atualmente é licenciado em música pela UFPB e integra o grupo de pesquisa em Educação Musical PensaMus. Está cursando sua segunda graduação (Bacharelado em Música) pela UFPB e tem desenvolvido trabalhos dentro da música popular como arranjador e outros trabalhos didáticos voltados para o violão e educação musical online.



 

SERVIÇO:

CURSOS VIOLÃO BÁSICO I E II

Arte educador: Michel Soares

Inscrições gratuitas e presenciais

Horário de inscrição: de terça a sexta-feira, das 9h as 18h, e sábado, domingo e feriado, das 10h até 19h.

Básico I Manhã (10h às 12h) – início das aulas: 28 de março

Básico I Tarde (13h às 15h) – início das aulas: 29 de março

Básico II Tarde (15h às 17h) – início das aulas: 29 de março

 

*Adriana Crisanto/Secom-JP

Foto destaque: Divulgação

 

Leia também: Espanhol José Herrera expõe fotografias de prédios de João Pessoa

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

 

Grupo ‘Palhaços Poetas’ fará a alegria da criançada na Villa Sanhauá

Os elementos do circo vão ganhar espaço na programação do AnimaCentro deste domingo (17). É que a partir das 16h, na Villa Sanhauá, Centro Histórico da Capital, o grupo ‘Palhaços Poetas’ vai levar alegria e diversão para criançada e toda a família. A atividade é gratuita e aberta para todos os públicos. A iniciativa é da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio de sua Fundação Cultural (Funjope).

O espetáculo vai narrar a história de dois palhaços que estavam à procura de um emprego. Na trajetória de vida dos animadores, eles vão usar da cultura popular, poesias e músicas, para ganhar o pão de cada dia. A narrativa vai levar uma reflexão sobre a importância do circo e da cultura popular local. O grupo vai usar também elementos de perna bamba.

O grupo, que existe há mais de dois anos, surgiu através de um projeto de Arte Educação no bairro do Roger. No espetáculo desde fim de semana, entram em cena os atores Servilio de Holanda (Palhaço Cuscuz), Dal Zapata (Perna Bamba), João Brandão (Gargalo) e Fabrizzio Formiga (Bolacha). O espetáculo tem duração de 60 minutos e tem direção de Evaldo Souza.

O programa AnimaCentro garante a ampliação e manutenção de uma agenda de atividades artísticas para dar ainda mais vida a um conjunto de espaços históricos restaurados e revitalizados na região onde o município nasceu. Este é o maior projeto de intervenção cultural já realizado, unindo revitalização e dando sentido à ocupação da área central da Capital.



palhaços-poetas
Foto: Divulgação

Serviço:

Apresentação do grupo ‘Palhaços Poetas’

Local: Villa Sanhauá, no Centro Histórico

Dia: Domingo (17)

Hora: A partir das 16h

Classificação indicativa: Livre

Evento gratuito

 

*Rômulo Teodorico/Secom-JP

Foto destaque: Divulgação

 

Leia também: Bandas Nihil e Riveros se apresentam neste domingo na Casa da Pólvora

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

 

Circo D´Mônaco faz apresentação gratuita no Parque da Lagoa

A alegria e magia do Circo D´Mônaco chegam ao Parque da Lagoa Solon de Lucena, no Centro da Capital, neste domingo (17). O espetáculo é para todos os públicos e vai contar com equilibrista, acrobatas, homem foca e palhaço. A programação, que faz parte do AnimaCentro, tem início às 16h, na Praça Pedro do Reino. A iniciativa é da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio de sua Fundação Cultural (Funjope). A entrada é gratuita.

O palhaço João Vitor Cabral destacou a valorização que a PMJP oferece aos artistas e circos locais. “É uma honra ter nos dado a oportunidade de mostrar nossa arte a um público com vulnerabilidade social. Que com esse espetáculo possamos transmitir uma mensagem de auto-importância para ampliar a arte sociocultural. Nossa proposta é de descentralizar e provocar o olhar para a estatística, a poética e relevância dos manifestos potenciais emergidos da arte contemporânea”, disse o artista do grupo.

Entram em cena, no picadeiro montado ao ar livre, o artista Ramon do Vale (o faraó e a serpente), Santos Smart (equilibrista), Valéria Cabral (bambolê), Kamila Chaiane (acrobata), Patricia Suellen (acrobata), Lucas Souza (acrobata), Jefferson Júnior (homem foca), Kesia Barbosa (acrobata) e João Vitor Cabral (palhaço).

Circulando por espaços da cultura erudita e popular, o Circo D’Mônaco impressiona pela grande viabilidade de atrações e um rico campo de artistas com referências culturais. Com a expansão de empreendimento, o circo passou a dar oportunidades a vários outros artistas com sua arte e linhagens diferentes, isso foi o sucesso de suas diversas atrações, e hoje passa pelo Brasil expandindo sua cultura e vivência.



AnimaCentro – O Centro Histórico da Capital ganhou destaque na gestão. Eleita pela Unesco como Cidade Criativa, João Pessoa conta com uma programação permanente de ocupação cultural do Centro Histórico, o AnimaCentro. Este é o maior projeto de intervenção cultural já realizado, unindo revitalização e dando sentido à ocupação da área central da Capital.

 

Serviço:

Apresentação do Circo D´Mônaco

Local: Parque da Lagoa Solon de Lucena  

Dia: Domingo (17)

Hora: A partir das 16h

Classificação indicativa: Livre

Evento gratuito

 

*Rômulo Teodorico/Secom-JP

Foto destaque: Divulgação

 

Leia também: Exposição de arte Naif homenageia mulheres na Estação Cabo Branco

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

Estação Cabo Branco inscreve para curso de história da arte moderna e contemporânea

Estão abertas as inscrições para o curso “Breve História da Arte Moderna e Contemporânea”, com o artista plástico e professor Sidney Azevedo. As inscrições são gratuitas e presenciais. Necessário preencher e assinar a ficha de inscrição que está disponível na recepção do prédio administrativo da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, no Altiplano, que se encontra aberto de terça a sexta-feira de 9h às 18h. Sábados, domingos e feriados de 10h até 19h.

O curso ao mesmo tempo em que irá capacitar os funcionários da Estação Cabo Branco também é aberto ao público. Estão sendo ofertadas 50 vagas. As aulas acontecerão no turno da tarde (15h às 17h), com início previsto para o dia 8 de maio de 2019, sempre nas quartas-feiras.

“A perspectiva deste curso é estabelecer um núcleo contínuo de estudos para aprimoramento do nível teórico e prático dos profissionais que atuam na área de competência das artes, incluindo os profissionais das demais áreas do conhecimento”, comentou o professor Sidney Azevedo. O curso terá duração total de 48h/aula e será desenvolvido em quatro módulos de 12h, distribuídos em seis meses.

Sobre o professor – Sidney Azevedo é mestre em história da arte, crítica e processos de criação pela PPGAV/UFPB/UFPE. Professor de artes visuais da Sedec (PMJP), com exposições coletivas e individuais dentro e fora do país. Licenciado em artes visuais pela UFPB. Também foi professor de instituições como o Centro Universitário de João Pessoa (Unipê) e a Fundação de Apoio ao IFPB (Funetec/PB). Foi diretor do Casarão 34 e da Unidade Cultural da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope). Sidney tem larga e consolidada experiência no âmbito das artes visuais, tanto como artista quanto educador.



 

SERVIÇO:

CURSO BREVE HISTÓRIA DA ARTE MODERNA E CONTEMPORÂNEA

Professor: Sidney Azevedo

Inscrições gratuitas e presenciais

50 vagas

Local: Estação das Artes

Horário de inscrição: Terça a sexta-feira das 9h às 18h. Sábado, domingo e feriado: das 10h às 19h.

Aulas: Quartas-feiras.

 

*Adriana Crisanto/Secom-JP

Foto destaque: Divulgação

 

Leia também: Exposição de arte Naif homenageia mulheres na Estação Cabo Branco

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

 

5 motivos para você assistir RuPaul’s Drag Race o quanto antes!

Talvez você nunca tenha ouvido falar sobre RuPaul’s Drag Race, ou já ouviu demais sobre o programa. De qualquer maneira essa é uma matéria para você! Falar sobre RuPaul’s Drag Race não é uma tarefa fácil, já que esse é um reality show idolatrado por milhares de pessoas ao redor do mundo. Mas vamos começar do início! RuPaul é um homem que há muitos anos faz performance como drag queen. Ele é um dos old school do ramo e é bastante conhecido lá nos Estados Unidos com sua carreira musical desde a década de 90. Em 2009 foi lançada a primeira temporada de RuPaul’s Drag Race, uma competição que reúne drag queens de vários estilos e estéticas que devem se apresentar e a melhor leva a coroa pra casa e entra no hall das drags.

Os desafios englobam basicamente tudo que um artista deve fazer: cantar, dançar, atuar, sapatear, costurar, fotografar… Enfim, diversas atividades que todas deverão fazer e sair bem. As duas piores que forem mal no desafio da semana terão que se enfrentar em um Lip Sync no qual a RuPaul escolhe quem deve ir embora (Sashay Away) e quem fica (Shantay You Stay). Um pouco confuso? Não tem problema, talvez seja muita informação, mas com o tempo você acaba se acostumando com as gírias e trocadilhos do universo de RuPaul’s Drag Race. Lembrando que até agora a competição tem 11 temporadas, sendo que somente dez estão disponíveis na Netflix.



 

Motivo número 1: você vai morrer de rir

alyssa-edwards
Foto: Divulgação

Isso é uma certeza absoluta! Todas as temporadas tem sempre uma drag que é a mais engraçada, mais escrachada, sempre com uma resposta na ponta da língua. Muitas das cenas engraçadas vêm das discussões que as drags têm entre si e na grande maioria das vezes as frases hilárias viram memes na internet e se tornam clássicas que todo mundo usa até hoje quando fala sobre o assunto. Os momentos engraçados também advêm dos desafios que elas têm que fazer, como por exemplo criar um programa de TV engraçado, que nos proporcionam momentos hilários. Mas acredito que definitivamente os momentos que vão te fazer rir são quando elas estão no workroom e acabam discutindo, até mesmo quando algo surpreendente acontece e todas ficam passadas. Tem também o Snatch Game, onde elas precisam interpretar alguma celebridade, ou no The Library is Open, que é quando elas podem ser más e falar mal dos looks e da aparência das outras. Motivos é que não faltam para considerar RuPaul’s Drag Race engraçado!

 

Segundo motivo: os Lip Sync são maravilhosos      

sasha-velour
Foto: Divulgação

O Lip Sync é um grande ápice do episódio. É naquele momento em que as duas drags que não foram bem no episódio terão que dar tudo o que tiver para provar para RuPaul que merecem ficar na competição. E para isso ser espetacular é necessário ter a música perfeita que ambas irão incorporar e fingir da melhor maneira possível que estão cantando igual ou até mesmo melhor que as reais intérpretes. É um momento de grande tensão porque muitas vezes a sua drag preferida está tendo que fazer tudo isso para permanecer no programa. Vários momentos emocionantes vêm através destes últimos minutos. As músicas em sua grande maioria são perfeitas, e não vá pensando que é somente mexer a boca e fingir que estão cantando que é necessário. Muitas drags acabam abrindo escala, dando mortal, tirando peruca, tirando a roupa, dando tudo o que tiverem ao seu alcance, e aquela que fizer melhor fica.

 

Terceiro motivo: os looks são incríveis

courtney.w710.h473
Foto: Divulgação

Cada drag queen no reality tem uma estética diferente. Os lugares onde cada uma mora acabam refletindo muito no estilo. Por exemplo, as drags de Nova York são mais ousadas, diferentes, exóticas, diferentemente das drags do sul dos Estados Unidos, que são mais clássicas e não arriscam tanto e são conhecidas por serem garotas de concursos de beleza, ou seja, algo numa pegada mais Miss Universo. Esse motivo é sempre um ponto de discussão entre todas, porque umas acabam achando muito estranho os estilos modernos e inovadores de umas drags e as outras acabam achando super clichê e que elas não ousam muito e acabam ficando na zona de conforto, demonstrando pouca versatilidade. Sendo isso verdade ou não, os looks de todas são incríveis. É lógico que todo episódio tem alguma drag que pisa na bola e acaba entregando um look muito simples, ou muito brega, ou inacabado, feio, sem criatividade etc etc, mas na grande maioria sempre tem uma ou mais de uma que rouba a cena e traz algo exuberante. Seja ele um look clássico ou moderno, o mais importante é ser coerente a identidade da drag, ao tema do desfile e com um bom acabamento. E olha que tem muitos que são tão maravilhosos que viram icônicos!



Quarto motivo: as histórias das participantes  

farrah-moan
Foto: Divulgação

Em meio a tantos momentos engraçados a gente acaba se esquecendo que cada uma das drags tiveram um passado difícil por serem do grupo LGBTQ+. Em alguns momentos quando estão se maquiando e colocando o figurino no Workroom, elas acabam desabafando sobre situações difíceis que já passaram, principalmente quando eram crianças ou adolescentes reprimidas, que não podiam ser como eram e que conseguem transmitir o que realmente são através da arte do mundo drag. O histórico de cada uma mostra como a comunidade LGBTQ+ ainda sofre repressão da sociedade. A luta de cada uma para conquistar um espaço de prestígio e aceitação acaba sendo muito emocionante de ver. Por se passar ao longo de dez anos, é possível ver a evolução de como as coisas estão mudando, mesmo que ainda seja pouco, mas é interessante notar que o programa mostra todos os lados das pessoas que fazem parte da comunidade drag queen, os altos e baixos, que não é somente glamour, existe muita luta também.

 

Quinto motivo: RuPaul’s Drag Race All Stars

workroom
Foto: Divulgação

RuPaul’s Drag Race All Stars é uma segunda chance que as drags recebem. Aquelas que não conseguiram ganhar em suas temporadas têm novamente a oportunidade de faz parte do hall das drags. Essa é a oportunidade de que aquela drag que você torcia muito, mas acabou não ganhando, seja novamente colocada no jogo. Recentemente acabou a quarta temporada de All Stars, que está disponível na Netflix. Tudo bem, esse pode ser só mais um motivo para que RuPaul’s Drag Race não acabe nem tão cedo, mas a verdade é que a competição fica mais acirrada e mais difícil em All Stars, até porque elas não mais iniciantes. Elas estão ganhando uma segunda chance de provar o seu talento e se promover ao mundo mais uma vez.

 

*Lembrando que a Netflix está colocando toda quinta um episódio novo da décima primeira temporada!

 

*Isabelle Vasconcelos/Estagiária sob supervisão

Foto destaque: Divulgação

 

Leia também: A Maldição da Residência Hill é a série de terror de qualidade que estava faltando

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

O Cinépolis de João Pessoa irá exibir filmes independentes nos cinemas

Denominado Caixa de Pandora, o projeto foi criado com o objetivo de fortalecer a exibição de filmes independentes, de diversas nacionalidades, em cidades que atualmente não costumam receber esse tipo de produção.

Quinzenalmente, 25 salas da rede Cinépolis, em 16 estados, abrirão espaço na programação para exibir conteúdo audiovisual culturalmente diversificado. A curadoria fica por conta da distribuidora Pandora Filmes, que completa 30 anos de mercado em 2019. Pretende-se, assim, promover e fomentar o cinema independente para além das grandes capitais brasileiras.

A partir de abril de 2019, a Cinépolis começa a exibir em sua programação filmes inéditos nacionais e internacionais de diretores consagrados e jovens talentos com passagens nos festivais mais importantes mundo afora, como Cannes, Sundance, Veneza, Berlim e Toronto, que já fazem parte do histórico da Pandora Filmes. “Fico muito feliz que uma empresa do porte da Cinépolis entenda a importância da oferta diversificada de filmes para seu público e confie na curadoria da Pandora Filmes”, comemora André Sturm, sócio da Pandora Filmes.

“A Pandora sempre buscou ampliar os horizontes da distribuição de filmes independentes no Brasil e este projeto com a Cinépolis é a síntese dessa missão, um grande estímulo à diversidade cultural”, completa Paula Cosenza, sócia da Pandora Filmes.

O primeiro longa a ser exibido pelo Caixa de Pandora é o francês “Quando Margot Encontra Margot”, de Sophie Fillières, protagonizado pela premiada atriz Sandrine Kimberlain, em 4 de abril. Ainda em abril, no dia 18, estreia o polêmico “O Mau Exemplo de Cameron Post”, vencedor do Grande Prêmio do Júri no Festival de Sundance.

Na primeira semana de maio, chega às telas da Cinépolis o novo longa da diretora Gabriela Amaral Almeida, “A Sombra do Pai”, com Julio Machado e Nina Medeiros. E no dia 16 de maio, “Compre-me um Revolver”, longa mexicano de Julio Hernández Cordón, exibido no último Festival de Cannes.



Sobre os filmes

04/04 – Quando Margot Encontra Margot

Margot (Agathe Bonitzer), 25 anos, tem uma vida despreocupada, pontuada por frequentes noitadas em Paris. Uma noite, durante uma festa, ela conhece outra Margot (Sandrine Kimberlain), 20 anos mais velha. Detalhes curiosos e grandes semelhanças fazem com que elas descubram que são a mesma pessoa em fases diferentes. Na manhã seguinte, no mesmo trem para Lyon, elas se deparam com Marc (Melvil Poupaud), o ex de uma delas, cujo charme desperta grande atração em ambas. Daí em diante, Margot e Margot acharão cada vez mais difícil se desligar uma da outra e também de Marc. Como seria reencontrar o seu próprio eu? Isto é o que Margot e Margot irão descobrir.

 

18/04 – O Mau Exemplo de Cameron Post

Cameron Post (Chloë Grace Moretz) era considerada uma adolescente comum até que foi pega beijando outra menina. Por isso, é mandada para um centro de terapia de conversão que corrige adolescentes com atração por pessoas do mesmo gênero. No local, em meio a tantas atividades estranhas, conhece outros jovens gays na mesma situação que ela, e finalmente a garota sente que encontrou sua turma.

 

02/05 – A Sombra do Pai

Quando uma criança é obrigada a virar o “adulto da casa” porque seu pai está doente e a sua mãe, morta, há uma inversão na ordem natural das coisas. A infância se transforma em saga. E a paternidade frustrada, em condenação.

 

16/05 – Compra-me um Revólver

O filme traz uma visão distópica de um México controlado inteiramente por cartéis, no qual as mulheres estão desaparecendo. Uma jovem usa uma máscara para esconder sua identidade e ajudar o pai a cuidar de um campo de beisebol frequentado pelos traficantes. Certo dia, ao acordar, a menina precisará lutar pela sua própria vida.

 

*TZM Entretenimento assessoria

Foto destaque: Divulgação

 

Leia também: Crítica: Green Book é o exemplo de que mudar de opinião nem sempre é ruim

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

 

Gitana Pimentel se apresenta no Sabadinho Bom na Praça Rio Branco

A cantora Gitana Pimentel se apresenta neste sábado (16), a partir das 12h30, na Praça Rio Branco, em mais uma edição do projeto Sabadinho Bom, realizado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) por meio de sua Fundação Cultural (Funjope). O show é gratuito e integra a programação do AnimaCentro.

Gitana Pimentel leva para a Praça Rio Branco o show “SamBahia”, com sambas e versões de axés dos anos 1980 e 1990, como ‘Baianidade Nagô’, ‘Faraó’, ‘Prefixo de Verão’, ‘Selva Branca’. Ela será acompanhada por Walderon Souza (violão), Jeyves Melo (baixo), Jefferson Fagundes (cavaquinho), Sarayva Luiz (sax e flauta), Crispim, Sandrinho Dupan e Lucas Ramalho (percussão).

A artista –Natural de Patos, Gitana Pimentel canta desde a adolescência. Em 2011, lançou seu primeiro CD autoral, “Enfim Só”. Foi finalista do Prêmio Multishow em 2013. Embora já tenha passeado por vários gêneros, é com o samba e o forró que ela tem conquistado espaço e reconhecimento do público.

Gitana Pimentel se apresentou em várias cidades da Paraíba e também em outros Estados. Lançou, em 2012, o show “Num Instante a Gafieira Virou um Forró”, no qual faz um resgate da obra de Rosil Cavalcanti. Em 2016, gravou um CD promocional com regravações de grandes sucessos. No ano passado se apresentou no Pólvora Cultural com um tributo a Antônio Barros e Cecéu.



O projeto – O Sabadinho Bom faz parte do AnimaCentro, que tem como objetivo ocupar os espaços históricos revitalizados pela atual gestão com uma programação cultural diversificada no Parque da Lagoa, Praça da Independência, Hotel Globo, Praça Rio Branco, Pavilhão do Chá, Centro Cultural Casa da Pólvora, Casarão 34 e Praça Antenor Navarro.

 

Serviço:

Sabadinho Bom

Atração: Gitana Pimentel

Local: Praça Rio Branco

Dia: Sábado (16)

Hora: 12h30

Classificação indicativa: 14 anos

Evento gratuito

 

*Juneldo Moraes/Secom-JP

Foto destaque: Divulgação

 

Leia também: Grupo Os Três do Norte se apresenta neste sábado no Forró na Feira

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3

 

 

Grupo Os Três do Norte se apresenta neste sábado no Forró na Feira

Integrando a programação de lazer da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), neste sábado (16), dando continuidade a programação do projeto ‘Forró na Feira’, o grupo ‘Os Três do Norte’ se apresenta gratuitamente na Feirinha de Tambaú. A partir das 20h, quem passar pelo local vai poder aproveitar o melhor do forró tradicional. O projeto é uma realização da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da sua Fundação Cultural (Funjope), da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb), em parceria com o Fórum Forró de Raiz.

O grupo ‘Os Três do Norte’ se preocupa em preservar o ritmo deixado pelos grandes nomes do forró nordestino. O trio surgiu em 1981, ideia de Josil da Silva (vocal e triângulo) – o Tizil da Paraíba, Florêncio Mola (sanfona) e Júnior (zabumba).  A trajetória do grupo sempre esteve atrelada à existência das quadrilhas juninas folclóricas, como a Fazenda Mangereba, Cascavel, Linda Rosa, Pendura Saia, Lageiro Seco, Lampião, Paraíba, Espigão e Fazenda Coqueiral, com as quais fizeram turnê por vários Estados.

Os artistas também abraçaram o projeto que, desde novembro de 2017, vem integrando a agenda cultural do pessoense. “Esta é a segunda vez que nos apresentamos no projeto e é uma nova emoção. A oportunidade é excelente para divulgação do nosso trabalho”, ressaltou João Neto, um dos integrantes do grupo.



Forró na Feira – O projeto vem há mais de um ano levando atrações gratuitas para a população, incentivando o trabalho de artistas locais e fomentando a cultura regional. “Unimos o ritmo contagiante do forró, que além de tudo é característico da nossa cultura, aos atrativos turísticos existentes na Feirinha e o resultado tem sido extremamente positivo. Fomentamos a nossa cultura e incentivamos o trabalho dos nossos artistas”, destacou Maurício Burity, diretor executivo da Funjope.

 

Serviço:

Forró na Feira

Data: sábado (09)

Horário: 20h

Local: Feirinha de Tambaú

 

*Andrezza Carla/Secom-JP

Foto destaque: Divulgação

 

Leia também: Bandas Nihil e Riveros se apresentam neste domingo na Casa da Pólvora

 

Gostou do conteúdo? Então não esquece de ativar as notificações no sininho, no canto inferior da tela do desktop!

Aproveita e segue a gente no nosso Instagram e Facebook para ver o conteúdo que postamos por lá! <3